segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013







Escrever é feito um passarinho quando voa
E uma pena se desprega do seu corpo
E enquanto ele voa em uma direção
A pena já não voa
É levada pelo vento
E vai plainando até pousar
Em algum lugar
Numa alma passante






5 comentários:

Nanda Assis disse...

bela definição. é bem isso mesmo. Qndo escrevemos deixa de ser nossa a escrita a partir do momento que alguem lê e toma pra si tudo aquilo.

bjos...

EDER RIBEIRO disse...

Uma bela metáfora, Paulinha. A partir fo momento q escrevemos aquele texto tem um significado para nós e terá vários para quem ler. Bjos.

myra disse...

sempre gosto de tuas metaforas!!!!enconto incriveis!!!
beijossssssssssssssssssssssss

O Sibarita disse...

Xiiii... kk pousou uma pena aqui na mesa e ai? Detalhe: Aqui não tem alma passante, tem alma ficante e agora? kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Eita Fia retada meu Deus! kkkkkkkk

O Sibarita

Paulo Francisco disse...

Bom. Muito bom.

Um beijo