sexta-feira, 26 de abril de 2013




Quero escrever um poema de amor
Não me deem lápis, caneta, papel, nem a tela do computador
Quero olhos nos olhos para compor o momento
Quero mãos nas mãos para sentir a inspiração
Quero dedos para rimar pele com pele
Quero suor e saliva para harmonizar o ritmo do coração
Quero abraços e beijos para metrificar o afeto
Quero chamego e cheiros para dar cadência ao amar dos corpos
Quero teu corpo inteiro no meu
Para fazer um soneto com muitos sons
Que não seja dividido em quartetos, nem tercetos
E sim a união de dois versos
Vivendo o amor de forma poética





6 comentários:

Paulo Francisco disse...

Então venha logo compor este poema! rs rs

Muito bom!!!!!!!!!!!1
Um beijo grande D. Maria.

Teresa Alves disse...

Luz... Câmera... e Ação! Fez-se poema e poesia. E o Amor.


Bom fim de semana, Paula.

myra disse...

M/A/G/N/I/F/I/C/O!!!!!
ISTO SIM E amor, beijosssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

EDER RIBEIRO disse...

Só a forma como compôs o poema, por si só, faz do amor, o amor de todos os poetas. Magnífica inspiração, fiquei extasiado. Bjos.

Blue disse...

Ao escrever um poema de amor,
escreve-se com alma e coração.
Os cheiros oriundos do trabalho serão de suor,
que neste momento brotam da emoção,
ao se pensar com carinho,
do teu corpo encostado ao meu,
para juntos ao céu chegar!

Beijo



O Sibarita disse...

E tem coisa melhro que viver o amor de forma poética? Tem não... kkkkkkkk

Unamos então os dois versos... Bom né? kkkkkkkkk

O Sibarita