sábado, 6 de julho de 2013

.



O dia estava abafado.  O sol e algumas nuvens de chuva faziam do dia uma estufa. O suor escorria pelas costas. Lavava as luvas e os cachecóis, se preparava para o frio. Não o frio daquela região, que não precisava de luvas, nem de cachecóis, o frio de outro local, do Sudeste por exemplo. Quem olhasse o varal com os pares de luvas pendurados, os cachecóis e as boinas não entenderiam. Assim, vistas de longe, aquelas peças lavadas e secando ao sol, sem se saber os motivos ficavam descontextualizadas. Assim é a vida quando não sabemos os motivos de algumas atitudes, elas podem passar a fazer parte das estranhezas. Dos comportamentos bizarros. Das loucuras. Lavar luvas e pendurá-las aos pares poderia ser só uma mania. Para o dia que fizesse frio. Para o dia que fosse viajar. Mesmo que nunca fizesse frio. Mesmo que nunca viajasse. Ou pode ter uma viagem programada para um lugar frio. Quem olha de longe, não sabe. O que faz sentido aos fatos é o sentido que damos a eles. Caso contrário fica tudo muito solto, sem sentido.

13 comentários:

Jardineiro de Plantão disse...

Fiquei a pensar...
Será que já usei luvas?
Não me lembro de alguma vez usar luvas.

Me lembro do velho proverbio.

Mãos frias coração quente, amor para sempre.
Mão quentes coração frio, amor vadio.

Será que tenho as mãos quentes ou pelo contrário as quero ter sempre frias.

Beijo deste amigo.

Paula Barros disse...

Amigo, quanto tempo!
Bem que dizem que quem é vivo um dia aparece.
Tens um coração quente, para mãos quentes. E assim aquece os amigos.
Você não tem ideia de como fiquei feliz em receber esta visita.
abraço em todos, e em especial para você.

brisonmattos disse...

Ano passado em janeiro, quando voltamos de Nova York, enchi meu varal de roupas de frio, luvas e meias. Estava um calor danado aqui e chovia, por um momento olhei tudo aquilo e pensei.My God! Se alguém ver essa cena vai achar muito estranho.
Como seu texto bem escrito de agora, só eu entendi.

Paula Barros disse...

brisonmattos, já faz alguns anos que você comenta, não sei quem és. Mas você compreende bem o que escrevo, interage, e isto é bom. Agora sei que você foi a Nova York, e não foi só, porque disse voltamos. kkk É isto, tem situações/cenas que nos parecem estranham.

myra disse...

desde que estou aqui, e voce sabe, nada mais faz sentido!
enfim...paciencia
mtos mtos beijos

Lídia Borges disse...


É, de facto, estranho!
Porém em tudo o que fazemos há uma lógica, mas nem sempre a nossa lógica é a lógica dos outros e aí é que a "coisa" se complica.

Um beijo

José María Souza Costa disse...

CONVITE
Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
Eu também tenho um, só que muito simples.
Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
Força, Paz, Amizade e Alegria
Para você, um abraço do Brasil.
www.josemariacosta.com


Existe Sempre Um Lugar disse...

Por vezes somos julgados por quem não tem conhecimento de causa, estamos sempre sujeitos a julgamentos gratuitos, a vida em que estamos inseridos é assim.
Venha para a Europa mas não se esqueça de trazer as luvas.

Abraço

ag

eder ribeiro disse...

Aí está Paula, vestuários fora do seu espaço, pois, é inimaginável alguém usar luvas e cachecóis no Nordeste, contudo, nordestino que sou, morador na região sudeste, até para mim é inimaginável usar luvas e cachecóis. Concluo, é preciso compeender o outro, pois somente ele sabe de suas necessidades. Para sua informação, frio em São Paulo fazia qdo cheguei aqui, em 76, hj não faz tanto. Bjos.

Paula Barros disse...

Eder, às vezes uso luva até no avião. kkkk Já estou pensando no frio de São Paulo. Depois digo se usei luvas.
bjs

Dona Sra. Urtigão disse...

As coisas não são bem o que parecem...As luvas em um varal do nordeste mostram bem

O Sibarita disse...

Pois é! Estas luvas ao meu ver já rodaram o sul, o sudeste, alguns países da América do sul e outros da Europa, foi não Fia? kkkk

Agora elas repousam sobre o varal do sol nordestino para voltarem a ganhar vida em novas viagens...

Ah essas mãos finas que se esquentaram e se esquentarão com essas heróicas luvas do bem querer lá e aculá! kkkkkkkkk

O Sibarita

Paulo Francisco disse...

Boinas, luvas, casacos, mesmo morando no Sudeste, são objetos comuns em meu varal.
Um beijo