domingo, 3 de novembro de 2013





Fui naquele cantinho onde você guarda lembranças. Mais que lembranças, saudades. Mais que saudade, amor. Um cantinho que parece mais uma gaveta de cômoda, daquelas cômodas de madeira escura, madeira boa. E nesta gaveta, e nesta cômoda, os teus incômodos.  Lá é onde você guarda talvez as suas melhores e mais inquietantes lembranças, talvez, não sei.  Me emociona achar algumas das tuas lembranças. Me emociona tuas saudades, o teu amor. O teu enorme amor, que não cabe na cômoda, nos teus incômodos, e que extravasa.  Quando abri a gaveta fiquei com uma lágrima escorrendo pelo canto externo do olho esquerdo, me fez lembrar lágrima de artista. Mas, tuas lembranças, tuas saudades, teu amor, teu infinito e eterno amor, me fez chorar torrencialmente. Sabe, gosto de chorar assim, lágrimas inundando as bochechas, escorrendo algum sentimento que você me desperta que não sei definir.  De chorar até sentir  o pescoço molhado. Só não gosto é de ter que guardar isto para mim, sem poder dizer a você o quanto você me emociona, e que eu cuido das tuas lembranças, das tuas saudades, do teu amor, como quem cuida de uma relíquia. Choro o silêncio de guardar palavras e assim me torno guardiã do teu mais lindo amor.


8 comentários:

Paulo Francisco disse...

Tem que ter coragem pra mexer numa gaveta dessa.
Adorei!
Um beijo grande e um abraça também bemmmmmmm demorado e muio apertado.

Anônimo disse...

meu ex lindo amor, hoje é egoísta.
Não quer dividir mais nada com ninguém.
E a cômoda existe sim, e tem uma gaveta que está cheia de trecos, cacos e pedaços de vida.
Quem sabe um dia meus filhos tenham interesse em abri-la e ver o que tem lá.
Eu não, não quero mais no passado.
Embora essas sejam as minhas divagações, saiba que gostei do jeitão do seu texto. Parece enaltecer alguém que já morreu,mas que será sempre lembrada

eder ribeiro disse...

Que linda prosa poética, Paula. O último parágrafo está deslumbrante. Bjos.

Cidália Ferreira disse...

Bom Dia Paula Barros

Lindo texto, emocionante.
As recordações e lembranças quando mexidas e relembradas doem...e depois depende do efeito que teve em "nossos corações" Adorei ler.

Beijo e uma boa semana.
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

myra disse...

vim tarde...mas e uma maravilha o quediz hoje...
minha filha foi embora hoje de mannha, estou bem triste...
beijos

Helena disse...

Sou atraída para um blog através do título, do nome do proprietário ou de algum comentário que me agradou, visto n'outros blogs. Ao teu, não sei dizer como cheguei... Acaso? Existe?
Só sei que vim e me encantei com textos tão lindos e tão bem delineados. Confesso que muitos deles eu poderia até 'roubar' para mim... mas como não sou mesmo uma ladra de textos resolvi identificar-me e passar a ser uma assídua frequentadora do espaço. Não sou ladra, mas sou meio intrometida e me enfio em lugares mesmo sem ser convidada... as relações internautas propiciam este tipo de intromissão.
Divagações a parte, só sei que adorei teus textos e me identifiquei com muitos deles, apesar de não ter a mesma facilidade que tens de buscar palavras no mundo dos sentidos e transformá-las em tão poéticos textos. Quem transita por sentimentos e emoções, acredito que seja o teu caso, pode nos presentear com pequenas pétalas poéticas que se alojam na nossa alma e ficam ali brincando de sentir a mesma coisa... brincando?
Por hoje deixo-te lindos sorrisos de mimosos anjos que brincavam por aqui e também algumas estrelas que estavam penduradas nas suas asas.
Tudo, com minha admiração e carinho,
Helena

:.tossan© disse...

Você escreve cada vez melhor e mais gostoso de ler e sentir. Beijo moça

PS: Onde anda Sueli (Mai), Leo Mandok, Vivian e outros que tanto gosto? Saudades deles.

O Sibarita disse...

Xiiiiii... kkk Fia, retou para escrever! kkkkkk Que bom! kkkkk

Sim, e o cantinho tava cheio de lembranças, foi? Hummmm... Me lembro também! kkkkkkkkkkkk

Ainda bem que vc é guardiã! kkkkk

O Sibarita