segunda-feira, 11 de agosto de 2008

.
Ah!...suspirava Ana Laura, rodopiando na sala da casa grande. Entre o piano de cauda e a chapeleira com o espelho a reluzir a imagem da menina-moça com sentimentos de moça-mulher.
Ah!...pensava Ana Laura, se todos os amores fossem assim. Libertadores das asas da sua alma e do brilho dos seus olhos.
Rodopiava, por entre os móveis antigos, a menina-moça, vestido de cetim cor-de-rosa, sonhos bordados de flores coloridas, pensamentos como o arco-íris.
Rodopiava no corpo da moça-mulher, que rodopiava, a sensação boa desse amor libertador, sem o ter, mas onde podiam ser...apenas amor.
Ah!...sentia Ana Laura.....
 

17 comentários:

Mariana disse...

Ando precisando sentir o amor como Ana Laura...
Você está bem?
Um beijo e excelente semana!

Pedro Ivo disse...

Olá meu amor Paula... Amei saber que se lembrou de mim ao falar com o gato do seu primo de RJ. Estarei lá em Dezembro. Adorarei fazer parte da sua família, mesmo que seja por um breve período, e quem sabe não se torna longo..rs.

Beijos.

Camila disse...

Antes sentia-me as vezes como Ana Laura... agora estou parecendo mais a Ana! Mas sou mesmo simplesmente Camila!
=***
Adorei o texto... Amor mais lindo este da Ana Laura, tô precisando me sentir assim novamente.
=***

O empírico disse...

Eu aconselharia a Ana Laura rodopiar um pouco menos ou vai acabar tonta...

(mas a graça não esta exatamente ai?)

Jardineiro de Plantão disse...

Já isto em filmes... mas ri do piano em calda... seria de açúcar?... já que o texto é gostoso ... desculpe a brincadeira...
Encontrei no texto muito lirismo... até parecia texto retirado da "Morgadinha dos Canaviais" de Júlio Diniz

Abraços

F. Reoli disse...

L´amour nos unirá! e a todos nós... todos nós... Beijo

vilminha disse...

Querida Paula, amei seus comentários, você sempre amável comigo, obrigada pela sua amizade. Essa troca no escrever em parceria é algo que só quem já teve a experiência consegue saber a dimensão e a exatidão do extase que é estar em sintonia com alguém que também escreve, sonha e sente tantas emoções. Ficou muito... nem acho as palavras. Beijos, uma ótima terça-feira com muito amor no coração.

Layla Lauar disse...

Toda mulher algum dia da sua vida já foi uma Ana Laura...

adorei o post...suas palavras, as rimas do poeta...encantador.

beijos...

Everson Russo disse...

Lindo o poema a Ana Laura,linda tambem a lapidação do poeta,que no fim foi feito a quatro mãos,como um concerto de piano...porque se fossemos levar ao pe´da letra seriam o dobro das teclas,rs,rs,olha a viagem,ja dariam mais de 200,,,rs,,,loucura,não sabe ainda Ana Laura o tanto que o amor é inconstante,no começo todas as descobertas são exuberantes e trazem aquela vontade intensa,depois vai se vendo que o arco iris não é tão colorido assim,mas temos que viver pra ver...como sempre tive que detectar uma sintonia ao que escrevo...rs...azar o seu né? te comparando as minhas doideiras,ela está no nome da poesia,em que voce fez questão de citar que sua filha não é Ana Laura, dentre as minhas loucuras já escritas,varias tem nomes citados, e por vezes fui questionado a isso,e a minha resposta era sempre a mesma,não podria ser minha Jennifer uma Anna Lucia,Minha Natalia Claudia,ou nenhuma delas,pura ficção,ou todas elas,pura ilusão,eu sempre me defendi que o titulo nunca é pra explicar e sim pra complicar...rs...então,que venham todos os amores...Mas que isso menina? ficou com a mão molinha?muda? há tempos eu venho observando,posso até parecer meio lunatico e um viajante dos sonhos,mas passo mesmo lendo, relendo e sentindo as poesias,e como já te disse,acho que voce a Bandys e a Izi, tem uma forma muito parecida e muito diferente de escrever o amor, e sempre que leio uma lembro da outra,e se confundem em harmonia,em sonhos e paz,acho que voces tres são simplesmente maravilhosas, e então decidi,sem pedir permissão,só pela amizade, coloca las juntinho no Livro,pra dividir com todos a otima sensação que tive ontem ao ficar saboreando voces tres...beijos minha adorada poetisa,hoje meu comentario foi longa metragem...rs..linda tarde pra ti e fique com Deus...

Ricardo Rayol disse...

isso que é interação.

Pelos caminhos da vida. disse...

Primeira visita!

Bela história de amor...

Vc já viveu a sua?

uma otima tarde.

beijooo.

Paulo R Diesel disse...

Um texto que vira poema que desnuda os sonhos da menina que rodopiava na sala da casa grande.
Todos podemos interagir sem tirar a essência da idéia.
Beijo, Paula.

vitor disse...

Paula, sonhar , fantasiar, é viver, quem não sonha, perde o melhor da vida.

Muito bom o post,beijos

Daniel disse...

Dois lindos textos. Essa "troca" virtual é muito bacana. Escrevi um poema com a Flávia Brito que foi ujm dos mais bacanas que já escrevi. Bjus e boa semana.

http://so-pensando.blogspot.com

Milady disse...

Paula, que coisa mais linda. Uma amiga que muito amo se chama Ana Laura, e engraçado que o rodopiar do poema cabe direitinho no que vejo dela também. Se me permitires, vou copiar o post completo e mandar por e-mail para ela falando da história de como o encontrei aqui no blog.

O fantástico mundo do blog...:-)

beijos e obrigada pelos momentos tão únicos que me proprocionas!

edson marques disse...

Essas trocas são deliciosamente auto-compensatórias!


Abraços, flores, madrugadas e estrelas..

Dr. Fácil disse...

Bela criação e desenvolvimento. Tudo que se compartilha assim fica legal. As entrelinhas respiram... rsrsr Beijão!