segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Oh! Mundo virtual
Cruel
Priva-me
Dos toque das mãos
Do brilho do olhar
 Do cheiro do corpo
Da ternura dos lábios
 Dos beijos desejosos
Do corpo quente
Priva-me
Dos passeios de mãos dadas
 De poder olhar a lua juntinho
De namorar na praia
De fazer muito amor
Oh! Mundo virtual
Sentimentos, emoções e desejos tão reais
Priva-me
Do corpo inteiro
De me dá inteira
Do corpo real
 

20 comentários:

sergio disse...

Voce tem toda razão. O Mundo virtual priva-nos de muitas coisas, entre elas o tato e o contato mas por outro lado, temos que reconhecer, nos fascinamos e emocionamos com ele. A lua está perfeita para os românticos. Bjs, abraço e ótima semana para vc Paulinha.

Camila disse...

Adorei a lua!
E o texto me trouxe a realidade! Mundo real e virtual... oh dilema!
Beijo
=D

Maria Dias disse...

É exatamente assim Paula...
Somos mesmos privados de muitas coisas neste mundo virtual mas não da energia trocada.

Querida...

Te convido a passar no Avesso para um assunto importante e sério.Gostaria q participasse e comentasse o que bem entender.

Grande abraço e boa semana!

Vivian Mag disse...

...mudemos um pouco o foco deste post...oh mundo virtual que nos permite viajar via mouse, e nestas viagens aportar em mágicos lugares que nos recebem com amor...mundo onde não existe o toque de pele, o cheiro e o gosto...mas existe a invasão dos sentidos, da imaginação que nos permite sentir com a alma...bendito mundo virtual, porque nele tem você...muahhhhhh

Daniel disse...

A virtualidade é dúbia. Encurta distâncias, fazendos pessoas se conhecerem de um extremo a outro do país, todavia, ratifica essa mesma distância, fezendo-nos pequenos ante a dificuldade do "encontro real", do papo frente a frente... Atualizei a Casa do Poeta e o Meias Palavras. Bjus e boa semana.

http://so-pensando.blogspot.com

http://poetasreunidos.blogspot.com

www.meiaspalavras.myblog.com.br

Everson Russo disse...

Primeiro me ensina,como voce tira fotos da lua e fica tão linda? eu nao consigo...rs...Concordo contigo sobre o mundo virtual,por isso que penso dele o seguinte, temos sim amigos que provavelmente serão eternos,mesmo que nunca o abracemos pessoalmente,mas tambem temos aqueles que não devemos confiar tanto, não me passa pelo entendimento o amor pelo mundo virtual, não sei, posso estar totalmente enganado e errado, mas é muito facil como seres humanos que somos nos encantarmos pela poesia, pelas imagens, é muito facil apreciar a obra do poeta, mas é bem mais dificil entender a pessoa do poeta, que certamente ao contrario do sonhador tem que ter os pes no chaõ, mas o mundo virtual é muito gostoso, cheio de carinho, paz, amor, toques sim, porque nao, quando voce passa pelo Livro e deixa seu recado, foi um toque seu nas paginas dele...rs..eu penso assim e no nosso meio especifico, nessa rodinha que fizemos de amigos, eu sinto uma amizade e um carinho, alem de um respeito muito grande, o que é muito bom, e como somos sempre sonhadores, mesmo no mundo real nos fazemos virtuais, voce´já não levou um pedaço da lua a sua pessoa amada? eu já, voce ja não dedicou estrelas, bailou em galaxias, divagou em planetas inexistentes, somos assim, mesmo reais, eternamente virtuais, mesmo sem ter essa maquininha doida que nos separa....beijos querida, tenha uma linda semana de amor e paz, e amanhã o Livro volta a falar de amor, hoje ele passou pela area da solidariedade....

Lilith disse...

Nossa, que linda analogia entre a foto e o poema! Parabéns, ficou D+.

Esse mundo virtual é tão real né? A gente acaba se envolvendo com ele a tal ponto, que só nos damos conta da ausencia da presença fisica, qdo o corpo reclama companhia.
É muito facil se perder por aqui, e se esquecer do contato...

Amei esse post.
Amei a foto da Lua. Sou uma apaixonada pela Lua e suas fases.

Bj imenso

Poeta Mauro Rocha disse...

Lindo poema!!

anderson eduardo disse...

As privações existem nao temos como negar.... o post em se ficou MARAVILHOSO, mais a lua esta impecavel... abração e tudo de bom

Bandys disse...

Paula,
Nada é perfeito...nem mesmo a lua!
Virtual e real, a linha é tenue...
Eu me divirto nos dois.
Agora so ando vendo estrelas, rsrs
beijos

Marcelo Martins disse...

Ando canasado também de virtualidades.
O sentimento é absolutamente real, mas onde está o calor, o toque, o olhar, os gestos, os tons de voz?
Espero que, em muito breve, eu tenha tudo isso nos meus braços...

Beijinhos

Dois Rios disse...

Paula,

O virtual priva ao mesmo tempo que dá.

É certo que não há olhares, toques, abraços, apertos de mãos, presença de fato, etc, porém ele acarinha, acompanha, enternece, diverte e muitas vezes estabelece laços tão fortes que converte-se em realidade de fato.

Beijos meus,
Inês

Betho Sides disse...

É se deixar-mos...Seremos anulados pelo mundo virtual. Sempre te que cair a ficha! Beijos Paulinha

Ps. Se vc quiser poderas, ler o B do B Uol e comentar no BethoSides Blogspot os dois!

Lay disse...

Oi Paula! Que saudade de você! Realmente muitas vezes gostamos mais,temos mais afinidades e até mais consideração por pessoas "virtuais" doque por pessoas "reais', é algo tão louco!
A lua cheia está uma coisa linda mesmo não é? fico sempre a observá-la do meu quintal.
beijos

Quase Trinta disse...

não acho o mundo virtual cruel... pois foi através dele que conheci muita gente e a distância não nos impede de nos abraçar, beijar-mos, estar junto, tudo bem q não é com a frequência q gostariamos..
beijocas

Zek disse...

Este mundo virtual, que nos põe barreiras fora do normal e nos faz sentir apenas como racional..... sem se dar, sem tomar.... que o acaso venha nos salvar!!

PS: linda e convidativa essa lua .

Beijos

lane disse...

Lindo,o mundo virtual e o real...mas Everson disse maravilhosamente,
mesmo no mundo virtual nos fazemos real,
o ruim é qdo vc tem os dois, mas fica mais no virtual...é pra acabar...
mas isso logo passa!!
bj poetisa maravilhosa,
vou roubar essa lua pra mim!!!

Cadinho RoCo disse...

O mundo virtual coloca-nos na cara das limitações ilimitadas.
Cadinho RoCo

Jardineiro de Plantão disse...

Um dos mais conhecidos autores a tratar do tema é o francês Pierre Lévy. Em seu livro "O que é o virtual?", ele define:
"o virtual não se opõe ao real, mas sim ao actual. Contrariamente ao possível, estático e já constituído, o virtual é como o complexo problemático, o nó de tendências ou de forças que acompanha uma situação, um acontecimento, um objecto ou uma entidade qualquer, e que chama um processo de resolução: a actualização."

Do mundo virtual, conheço um caso em concreto... ele de um país ela de outro... no virtual se encontraram... mas vivem uma realidade de vivência em comum.

Será que a distancia entre a partida e o final do sonho ao utópico é assim tão grande.

Poderá se afirmar que o virtual é uma realidade que veio facilitar a vida do ser humano?

Abraços (virtuais), os tome como realidade

Dr. Fácil disse...

Linda lua e um texto tentador. Beijão guria!