sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Estava lendo um livro com anotações e encontrei algumas coisas escritas. Ah, o que mudou? Talvez a inocência que perdi, e a esperança em algumas coisas. 12.01.87 – 24 anos

Queria ser poeta e o mundo descrever
Ser pintor é o ideal e o mundo colorir
Ser palhaço e a todos fazer sorrir
Um pouco doida é o meu sonho
A todos perturbar
E nada assumir


04.12.08 - 21 anos depois......


Nem poeta
Nem pintor
Nem palhaço
Nem doida o suficiente
Para não assumir o que faço.
Nem lembro o que se passava comigo no ano de 1987.
Não imaginamos o que vamos passar na vida.

32 comentários:

Alisson da Hora disse...

ser poeta é viver todos os dias um universo de incompreensão, mesmo que algumas pessoas digam que nos compreendam...

beijo grande!

Vivian disse...

...ah minha linda Paula,

o que se passava não sabíamos,
mas que é uma delícia quando
vamos mexer no 'passado'
e encontramos pedaços
de nossas sandices que nos
reportam a agradáveis sensações,
isso é, não é?

muahhhhhhh

Rodolfo de Sá Cavalcanti disse...

Às vezes
Vem uma vontade louca
De quebrar os status quo
De ser desobediente
De arremessar pedras bem longe
Do caminhar sem o medo das críticas
Do fazer por fazer
De quebrar as regras
De dizer um P.Q.P

FRAN "O Samurai" disse...

Oi Paula!

Eu gostei de ler isso!

Talves é na inocência que encontramos nossa beleza de enxergar o mundo de um jeito diferente!

O amadurecimento pessoal as vezes nos deixa um pouco frustrados com a vida. Percebemos que o mundo é um lugar de "sim" e "não", mas nunca "talvez".

Tenho certeza que você deixou esse lado sonhador adormecido e já é hora de acordá-lo. Sonhar é bom... as vezes!

beijos Paula!

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Paula!

Saber do futuro talvez nos deixasse sem ação ou muito vaidosos; o que seria uma catástrofe de qualquer modo. É o que penso.

Por outro lado, chegar à idade que se tem e olhar para trás, é como disse Pedro Navas, um médico escritor: "A experiência é como um carro com os faróis voltados para trás, só serve para mostrar o que já passou e nada mais". Tenho que dizer que não li o Baú de Ossos, mas assisti à entrevista, à época do lançamento do livro e guardei a citação, por isso pode ser um pouco diferente do que escrevi, mas a essência é essa mesma.

Um beijo com carinho!!!

A+☺$ disse...

"A todos perturbar
E nada assumir"

=D muito bom mesmo.

Bom dia para você!

J. ROBERTO BALESTRA disse...

Paula, lindos seus poemas, carregados das purezas que o tempo vai nos roubando.

O Grande Vaqueiro d'Universo sabe o que devemos esquecer. bjs

Ricardo Rayol disse...

Minha ausência é involuntária...

Você não é a maldita risos.

Verônica disse...

Tenho anotado em todas as minhas agendas, + ou - desde 1995 tudo o que fiz e o que senti em cada dia até hoje (até quando choveu), e as vezes me pergunto em qual daquelas páginas em me deixei, deixei meu sorriso, meus "sonhos", minha inocência, minha alegria, estranho saber o que nós tornamos depois de tanto tempo, hoje é tudo mais sombrio, mais pesado, o tempo serve pra maltratar pensamentos...

Leonardo Hoffman disse...

21 e 1987.
Os números bateram com os meus.

Bom ver isso que é pra eu guardar o que escrevo e não deixar por ai em qualquer papel.Quem sabe algum dia posso olhar p trás meio minhas letras.

Beijo,bom fim de semana.

Jardineiro de Plantão disse...

Revisar as folhas do passado e comparar a mesmas com as de hoje...

Quantos enganos e desenganos, encontramos no caminho percorrido... quantos sonhos por realizar... verdadeiramente interessante é reparar quanto crescemos.

Abraços

Raíza Rocha disse...

às vezes me pego fazendo essas coisas , comparando os tempos, os momentos, as alegrias e tristezas.
E não é que a gente descobre que não tem comparação?

que podem até ter traços iguais mas se diferem na singularidade própria de cada momento.

sem arrependimentos, gosto de relembrá-los. vivê-los nos rabiscos que eles deixaram...

bjos

Sedokao Morutaru disse...

Bom dia. belo é frio. Mas adorei.

Marcella disse...

Adoro fazer esse tipo de anotação, pois alguns anos depois é tão prazeroso ler tudo aquilo que escrevemos e reviver as situações!
Beijos, Paula!

PreDatado disse...

Mas é tão bom ter sonhos, não Paula?

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Minha querida
Fico uns dias sem vir e quando chego... nossa! Tanta coisa a ler!
Minha amiga, pense bem, é nisto que reside a beleza da vida, a capacidade de surpreender-nos conosco mesmo... Veja, se você tivesse se tornado qualquer daquelas coisas sonhadas, não teria este post lindo!
De tudo tem um lado bom.
beijo e bom fim de semana

Maria Dias disse...

Oi Paulinha...

Vc estava já neste tempo começando uma ebulição...Quando esta força de escrever vem é mais forte q nós, começamos a nos questionar o pq destas palavras começarem a sair de nós mesmo sem nos sentirmos preparados...Elas chegam e ponto.É muito bom sentir o processo todo de criação não?rs... Mas teimamos em dizer q nao somos poetas...Bacana vc dividir estas anotações conosco... Escrevia muito antes de me casar,desde menina até os meus 18 anos... mas depois joguei tudo fora voltando as minhas escritas só aos trinta anos.Retomei como forma de terapia e nao parei mais... Gosto muito quando vc aparece no Avesso e me compreende...Vc sempre diz coisas com conteúdo.Obrigada por ser assim.

Beijinhos

Maria

Everson Russo disse...

Eu penso que por essas coisa que não devemos levar muito a vida numa regra inabalavel, muitas vezes fazemos muitos planos, traçamos direitinho, e no final nao executamos nada, nem por nossa culpa, a situação a epoca, então, o negocio é viver intensamente o agora, e deixar as linhas escritas pra quem vier seguir...no mais, sejamos todos felizes com o que construimos, que já é muito legal....beijos pr ati, lindo final de semana....

Marcelo Martins disse...

É o tal processo de crescimento e de aprendizagem.
Nosso valores estão em constante mutação, assim como nossos desejos e sonhos.
Acho que essa é a graça da vida, nunca estacionar, nunca se estagnar e sempre conhecer novos caminhos e estradas.

Beijinhos

Luiz Caio disse...

Oi Paula!
Vejo, e sinto em ti poetisa... Em sonhos, sentimentos, e palavaras ditas. O que se passava em seu coração em 1987, talves seja o mesmo que se passa hoje... Porém, com a maturidade do tempo decorrido!

VOCÊ É POETISA.

TENHA UM LINDO FINAL DE SEMANA!
BEIJOS.

Marrí disse...

Ler a própria história às vezes choca... mas é incrível como mexe por dentro...

Obrigada por compartilhar!

Um sorriso largo )*

Tatiana disse...

Oi Paula!
Realmente a gente não faz ideia do que vamos viver no futuro... do passado guardamos algumas lembranças...mas por suas palavras percebo que a vivência a fez uma pessoa madura e sábia.

Dias belos para você!

Beijinhos

Daniel disse...

Uê? E quem te falou que não és uma poeta. És poeta, e pinta maravilhosos quadros de sentimentos e emoções em seu blog. Postei no Ménage. Bjus e bfs.

http://so-pensando.blogspot.com

http://textoaatres.blogspot.com

Olhos de mel disse...

Oie linda! A vida é assim. Quando adolescentes, pensamos que podemos mudar o mundo e fazer dos sonhos realidade, mas o tempo passa e chegamos a conclusão que tudo é apenas ilusão.
Belo post! Bom fim de semana! Beijos

Sol da meia noite disse...

O tempo passa, operando mudanças em nós.
Mas são mágicos estes momentos em que voltamos atrás no tempo e recordamos quem fomos...

Beijinho, amiga *

Simples Assim... disse...

Tenho 27 anos e me resta muito pouco de inocência, mas de esperança ainda há um bom bocado. Daqui a 20 anos, quem sabe...

Paula, fiquei muito feliz por ler seu comentário. Escrever pra mim é ir deixando convites, bilhetes de viagem. Cada um embarca rumo ao destino que melhor lhe aprouver. Sabe de uma coisa? Naquela sua lista, vc elencou quase todas as "sacadas" que havia no texto.

É realmente um desafio escrever pra (e com) pessoas com tanta sensibilidade como vc e tantos outros que tenho conhecido por esses caminhos virtuais.

Só posso agradecer pelas visitas. Bjs !!!

Vieira Calado disse...

O que nos diz, mostra, porventura, uma grande sinceridade.
Todos nós sonhamos, mas nem sempre os sonhos se concretizam.
Paciência...

Se vier por cá, a Portugal, de certo que vai gostar.

Sabe... vai encontrar as suas raízes, o que foi o sonho, a utopia.

Uma coisa é certa:
na mesma língua nos entendemos.

Cumprimentos

Nanda Assis disse...

vc foi e é, só que se desfaz de vc mesma.
para mim, que não a conheço pessoalmente senti vc de várias formas.

bjosss...

tossan disse...

Os sonhos se vão e construimos outros de acôrdo com a época atual. Bj

Amarísio Araújo disse...

Poeta você é,sim,Paula.Quanto ao resto eu não sei dizer.Agora,
ninguém consegue ser suficientemente doido ou suficientemente lúcido.Ainda bem.
Abraços.

Pavón disse...

Somos poços de sonhos em determinados momentos de nossas vidas, mas nao entendemos o quais os rumos que ela pode seguir, nem as consequencias a todos os nossos sonhos... como dizia minha Vó, sonhos foram feitos para serem conquistados de olhos abertos ao invés de tê-los dormindo.

Beijos

O Sibarita disse...

Lembranças boas, não fia?

Essas anotações antigas são porretas quando a relemos anos depois.

bjs
O Sibarita