quarta-feira, 6 de maio de 2009

A andarilha passeando nas palavras.....
(peço não lerem como paixão, nem amor)
Ai, (suspiros). Tuas palavras...ah, tuas palavras...que magia que contém. Enebriam.
Circula o sangue quente pelo meu corpo, fazendo curvas nas entranhas. Estranho a tontura que invade a mente. Fico tonta diante da tela. Ela treme. Ou será eu? Sou tomada por uma sensação de sangue quente que sinto circular por fora das veias, se derramando pela cavidade abdominal, escorrendo pelos braços....vou me esvaindo....sinto escorrer por mim emoção....pensamentos...palavras...ficamos tontas. Tontas as palavras e eu. Chego tão de mansinho. Só querendo ler. Degustar palavras, tomar de goles. Mas os goles são de vinho tinto sangue....o teu sangue em palavras....e o meu sangue se esvai....me engole. Fico pálida, sem fôlego, sem ritmo, o coração cambaleando....embriagada, trôpega... Sinto as mãos suando. Por quê? Por quê? O coração bate um tanto desconexo. É quase um sentimento de transe. De êxtase.
Sinto o travo da pitomba azeda tocando a língua, trava a mandíbula, enche a boca d'água....seguro o rio que tenta transbordar. Fica um turbilhão dentro de mim....entre a garganta e o peito.....

21 comentários:

FRAN "O Samurai" disse...

Oi Paula!

O que acontece por aqui heim? Hummm... tá explodindo de emoção essa postagem. Até eu estou perdido em meio a tanta tremedeira emocional. Hehehe! Viva o amor.

Beijos.

Nanda Assis disse...

sintomas de paixão e tesão. ai meu deus, como é bom sentir tudo isso! desejo que essa sensação não passe nunca!!! e que o dono disso tudo saiba aproveitar cada tremor.

bjosss...

edson marques disse...

Paula,


Deixe o rio transbordar!

Saudades!



Abraços, flores, estrelas..

Eurico disse...

Como ler isso sem paixão? Ela salta da tela e nos comove...rs

Abraço.

Mai disse...

Danousse! Amiga. Isso é paixão pela palavra né não? Estás que nem que eu?

hehehehehe...Paulinha será que nós duas estamos ficando com o miolo mole?
"...Cantar os males mode apagar um amor ardendo..."

Vige, Paula... Uai!
Amei teu texto. Eu acho que essa paixão pela palavra cria dependência química. Que achas de processarmos as palavras por nos viciar?

Beijos, amiga.
Teu texto está f%%od%#ástico!

Carinho,

Mai

Leo Mandoki, Jr. disse...

pitomba azeda??
...ahahah..nca comi pitomba..muito menos azeda...mas acho que consigo assimilar a informação. Eu ainda preciso saber que é "ESSE" tal que escreve e que te deixa assim...nem o Sade..nem o Casanova..nem o Dom Juan...
um beijo

Blue disse...

Se a Andarilha esta a passear por entre palavras,
vamos nós, simples mortais,
tentar desviar-se das letras,
para deixar o caminho livre,
pois imagina,
se nós como comentaristas,
formos culpados de um enfarte,
pois se o sangue está a assim fluir,
poderá romper uma aorta!

Calma menina,
sente-se à sombra de uma frondosa árvore,
respire e relaxe,
deixe o tempo passar,
tome um gole dágua fresca,
restabeleça-se, ganhe cor, fôlego e ritmo novo,
e depois siga tranquilamente em frente...

Beijos

Uma aprendiz disse...

Oi, Paula

As palavras têm poder, maior até do que imaginamos.

Quando elas saem de nós levam no ar as emoções que a geraram. Quando entramos em contato com elas,na mesma sintonia,conseguimos sentir as vibraçoes emitidas.

Entendo sua reação.

beijo

Poeta Mauro Rocha disse...

(peço não lerem como paixão, nem amor)
Ler com indeferença faz maior ainda a diferença desse poema em prosa.

BJS

Poeta Mauro Rocha disse...

Há obrigado pelo comentário.

Maria disse...

Que bonito passeio te fizeste nas palavras, rio de sangue correndo de ti...

Gostei muito.
Beijos

©tossan disse...

É o cio das pitombas que se deliciaram com a tua boca...
Oh fruta ácida da moléstia! Beijo

Sam disse...

Ahhhh, alcançastes as minhas emoçoes mais sutis!

Carinho,
Sam

Everson Russo disse...

Existe um turbilhao de emoçoes dentro de todos nós, coisas que nos vem as loucuras diarias, as inexplicaveis sensaçoes que nao temos explicação, rs..claro,sao inexplicaveis, a gente vive mesmo perdido em sonhos de amor, busca e tudo mais que temos direito...beijos carinhosos, tenho sentido sua ausencia no Livro, pode nao, fica tudo sem sentido, sem tradução....

Bem me quer Bem me quer... disse...

Oi,

Eu e Cauã passando pra te visitar como prometido!rs...
Bem sobre tua postagem tenho a dizer q.........Hã mas o q é isso então?rs...
Tá mas vc tá pedindo demais numa postagem q transpira amor e exala paixão viu?rs...É como tapar o sol com a peneira moça!Ah tá, não vou te ler na forma de paixão e nem de amor entao posso te ler como passado?...rs...

Te aguardo no meu Bem me quer!

Beijos

Maria

Amarísio Araújo disse...

Paula,

Nunca senti o travo da pitomba azeda tocando a língua,mas acabo de sentir a boca cheia d'água e a mandíbula travada...sensação de amor e paixão pelas palavras que você derramou aqui.

Perdoe-me minha ausência circunstancial.Já sofri as penas naturais de quem se priva do prazer de aqui chegar.

Abraços carinhosos.

lua prateada disse...

E como lêr isto sem paixão???é maravilhoso...
Fica aqui o desejo de um lindo fds. vamos apreciar as pequenas coisas, pois um dia, talvez olhemos para trás e descubramos que foram essas as grandes coisas.
Beijinho prateado

SOL

Pjsoueu disse...

Paula...

Quando aqui entrei, fi lo curioso, faminto de palavras revoltas pelos sentimentos na voragem da vida, bela, vivida...

O gosto pela vida é evidente - gostei...

bjos

Pj

Philip Rangel disse...

Muita emoção aki mesmoooo

O Sibarita disse...

É... Nem paixão, nem amor, mas, olhando a lua sem o travo da pitomba é tudo que se quer... kkkk

Tá beleza o texto!

-Pô, esse cara tem jeito não! kkkk
-Como assim?
-Você não tem vergonha não cara de pau? kkkkkkk
-Eeeuuuu...
-Tá gagueijando é fio? kkkkkkkkkkk
-Sei lá, é o travo da pitomba! rsrs
-Rapaaaaaaz! A criatura tá de mal, e você ainda vem aqui?
-De mal? Fazer o que? Eu não tando tá tudo bem! rsrsrsrs
-Pois é! Tomara que ela lhe jogue praga!
-Oxém! rrsr Será?
-Ora se... Brasilia é terra de bruxo meu véi! kkkkkkkkkkkkkkkk
-Ô é? Valha-me meu Ogum de Ronda! rsrsr

bjs
O Sibarita

Daniel Savio disse...

Meio curioso o pedido, pois senão foi amor que foi descrito, só foi luxuria?!

Hua, kkk, ha, ha, brincadeira com um fundo de indiscrição...

Fique com Deus, menina Paula.
Um abraço.