terça-feira, 26 de maio de 2009




Eu tive medo....
Medo de me perder e levar você comigo.
Você que tem a força, o brilho, a imparcialidade.
O controle da emoção, o corpo fechado para eventuais ataques mundanos.

Eu tive medo...
De continuar por esse caminho.
Um labirinto verde.
Cheiro de orvalho da madrugada.
De relva aparada.

Eu tive medo....
E pensei em prudência.
E decidi parar de procurar.
O que não tinha perdido.

Eu tive medo...
De achar uma saída.
De querer pegar a emoção na mão.
De tocar o que não me pertencia.

Eu tive medo...
De enrolar o labirinto.
De esticar a saída.
De provocar uma situação.

Eu tive medo...
De continuar a ouvir a sua voz.
 De virar um mal assombro.
De me perder de novo.
No labirinto da emoção.

Eu tive medo...
De por não ter medo.
Desse medo.
Te assustar.
Te afastar.

 Eu tive medo....

20 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Tb tive medo...

beijooo.

Beto Mathos disse...

Raimundo Fagner bem já escreveu: "Morro de medo, nem quero saber aonde vou, é muito cedo."
Obrigado pela visita e pela oportunidade e descobrir seu blog. Gostei e volto pra ler com a calma que os textos merecem.

tossan disse...

A perda de alguém ou a nossa própria sempre traz os componentes certos pro medo, palavras que se perdem no labirinto que causa a impotência, porém a poesia simples e bela se faz presente e é por isso que te homenageio aqui e lá no Amigos. Beijo

Vivian disse...

...ahhhh
com medo e por medo,
deixamos fugir o céu
de emoções em nós.

bom dia, poetisa medrosa.

rss

bj

Nanda Assis disse...

o medo é nosso mairo inimigo, mas tbm nos ajuda a ter prudencia.

bjosss...

Maria disse...

este medo tem tudo a ver com a prudência de ontem... e eu entendo.
Mas só vivemos uma vez, querida Paula...

Beijo

Elcio Tuiribepi disse...

OI Paula...bom dia....muito bonito seu poema, a imagem...enfim...a vida as vezes nos coloca mesmo em labirintos, e para se achar a saída é preciso caminhar, caminhar, caminhar e caminhar, o problema é que caminhar não é "preciso", assim como o navegar como já disse o "Fernando quase não Pessoa"...rsrs(sou fanzão dele), vai escrever assim lá longe...Ter medo...quer coisa mais humana do que se ter medo...
Também tenho, quem não tem? E ter medo é se proteger...
Uma ótima quarta para você...um abraço na alma...

Everson Russo disse...

Eu digo sempre isso, mas hoje vou cair na tentação, de que a poesia é sempre escrita com uma ideia e recebida com outra pelo leitor, e ela torna se dessa pessoa, mas antes da analise eu queria a sua visao do que seria "o corpo fechado para eventuais ataques mundanos", o que seria isso? achei profundo e não quero arriscar algo sem noção, mas enfim, enquanto voce narra "Eu tive medo", eu diria que eu ainda tenho, se e pra falar de amor eu falo, se e pra tentar colocar melodia no amor eu tento, mas se é pra olhar ele nos olhos, sorris com ele o mesmo sorriso, seguir o mesmo caminho, eu paro,penso e deixo ele ir, e não me acho forte por isso, ao contrario, mas é o que sinto, fico so pensando, será que e de verdade dessa vez? sera que vai valer a pena agora? dai ele vai embora e não espera minhas respostas, e pior, leva com ele todas, eu tenho medo de achar uma saida e pegar a emoção na mao e tocar o que nao me pertencia...rs..rs..e por ai....beijos querida, tenha uma linda quarta feira....

Blue disse...

Muito bom, "Eu tive medo".

Medo temos das incertezas, do que vamos encontrar no outro lado.
Medo de entrar no labirinto e não achar a saída!

PS.: Mas este labirinto não é em Nova Petrópolis - RS?

Beijossss

Xabonas disse...

"Aprendi o silêncio com os faladores, a tolerância com os intolerantes, a bondade com os maldosos; e, por estranho que pareça, sou grato a esses professores."
(Khalil Gibran)

beijooooooooooo

Eurico disse...

O medo me traz medo.
Medo de não agir por medo.
E morrer de medo.
E virar estátua.

Eu também tenho medo, Poeta!

Abraço fraterno.
E, força!

São disse...

Não é crime ter medo, sabe?

Um abraço

Vieira Calado disse...

Mas, oh, amiga!

É sempre possível sair do labirinto!

Bjs

Pena disse...

Oh, Encantadora Amiguinha:
Um poema delicioso. Sensível de fascinar.
Quando há alguém precioso na nossa vida sentimos um pouco de receio pelo desconhecido, pelo que sucederá, pela pureza das intenções.
"...De continuar a ouvir a sua voz
De virar um mal assombro
De me perder de novo
No labirinto da emoção

Eu tive medo...

De por não ter medo
Desse medo
Te assustar
Te afastar

Eu tive medo...."

Que "coisa" mais maravilhosa, com sentimentos precisos e óbvios de fragilidade perante a surpresa e possível desencontro omisso a nós dum sentimento recíproco.
Fabuloso. Adorei!
Beijinhos...
Bem-Haja, pelo seu notável talento de um extraordinário expressar lindo do seu sentir.
Cordialmente e sempre a admirá-la


pena

Bem-Haja, pela preciosidade humana que é.

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola! Ter medo é natural e faz com que certas coisas não aconteçam, se isso é bom ou ruim só o tempo mostra.

BJS

VERTIGO disse...

Belo poema, cheguei aqui atraves da Luz dos Olhos, bacana seu blog.

Voltarei......

Philip Rangel disse...

O medo so temos de ter o de nunk tentar esse sim torna essencial....


bjao

•.¸¸.ஐBruneLLa França disse...

O medo é algo que parece, à primeira vista, monstruoso. Mas é possível vencê-lo.

Beijos e borboleteios

Luiz Caio disse...

Oi Paula! Como vai?

Medo de: tocar no que não lhe pertênce... De provocar uma situação! Este trecho me chamou a atenção... Talvez a outra pessoa também sinta algum receio, por não ter asas para poder voar contigo! Ou talvez, por saber que não poderia lhe pertencer totalmente... Se for assim, então seria mais facil você querer se afastar dele, do que ele querer se afastar de você, imagino!

PAULA! ESTOU COM PROBLEMA DE CONEXÃO COM A NET, POR ISSO NÃO ESTOU PODENDO POSTAR... MAS ARRUMEI UM JEITINHO DE VIR ATÉ AQUI OLHAR O QUE VOCÊ ANDA FAZENDO!rsrs... O PESSOAL LÁ É MEIO ENROLADO, MAS ACREDITO QUE AMANHÃ
(QUINTA FEIRA) O PROBLEMA SERÁ SOLUCIONADO E EU ESTAREI DE VOLTA!

TENHA UMA ÓTIMA NOITE!

BEIJOS.

O Sibarita disse...

Teve? Não acredito! kkkkkkkkkkkkk

Tenha não fia! O que é do homem o bicho não come, né não?

Se ficar com medo como poderá saber que assustou, afastou?

Sei não, viu? Moça ninguém vira mal assombro assim não! kkkkkkkkk

Demais sua poesia!

bjs
O Sibarita