sábado, 29 de agosto de 2009

Quem sou eu? Sou também o que escrevo. Não sou só isso. Sou muito mais do que não escrevo. Leiam o que escrevo. Não tentem ler a mim. Sou um livro de muito contos. A maioria não conto. Só conto, e olhe lá, quando me olham nos olhos, e se eu sentir que sou olhada com a alma, e ouvida com o coração. Sei da minha história, algumas inesquecíveis, outras tento esquecer, sei das minhas alegrias e dores. Sei do meu passado mal passado. Sei da sangria que escorreu. Sei das dores apuradas, cronificadas. Sei das belezas vividas. Alguns fatos esqueci, preciso dos amigos e familiares para lembrar-me, tanto do que vivi, como dos obstáculos que venci, da garra que tive e tenho. Sei da lista de sonhos realizados. Sei dos sonhos frustrados. Sei das vezes que a vida parou e ficou estancada sem emoção. Sei dos momentos que a vida desceu ladeira abaixo. Sei também das grandes viradas, das enormes conquistas, das grandes emoções. Existo porque sonho. E de sonho em sonho, realizados ou não, insisto em viver. E sonho, e planejo, e realizo, assim continuo essa caminhada chamada vida. Quem sou eu? Sei tão pouco de mim, ainda estou me descobrindo. Tirando de mim o passado mal digerido, abrindo a cortina da mente e limpando as poeiras. Sou um pouco do que escrevo....o resto talvez seja o que sonho. Sonho, logo existo. E para existir sonho.

31 comentários:

Wilson Rezende disse...

Lindo poema, beijos enormes Paulinha.

Ava disse...

Paula, hoje me vejo em suas palavras...

Já me sentí assim várias vezes... hoje, em especial, é como se me visse em cda frase sua...


Estranho essa sensação de Déjà vu...

Sensações inexplicaveis...rs


Beijos!

Betho disse...

Vc existe e sempre existira Paulinha...Não se preocupe vc saberá tudo que precisa saber é questão de tempo e isso vc ainda tem muuuuuuiiiiiitttttooooo, então para que preocupar-se agora?
Beijos e |BFS

Majoli disse...

Paula, amei seu texto, e esse finalzinho parece comigo: "Sou um pouco do que escrevo...o resto talvez seja o que sonho. Sonho, logo existo. E para existir, sonho."...sou assim sem tirar nem por.

Beijos querida.

O Profeta disse...

As cordas de uma viola vibraram
Beijaram os dedos ao tocador
Uma nota fugiu ao encontro da saudade
No refrão a canção tinha a palavra amor

Nunca ouviste a palavra amor
Nunca te encontrou a nota de uma violoncelo
Nunca se rasgou o teu deserto de silêncios
Nunca um som te fez sentir o quanto é belo

Boa semana

Doce beijo

Dauri Batisti disse...

Belo texto, dos mais bonitos que já li aqui.

Beijo.

Vivian disse...

"Existo porque sonho. E de sonho em sonho, realizados ou não, insisto em viver. E sonho, e planejo, e realizo, assim continuo essa caminhada chamada vida."

dizer o quê, senão que
és uma linda?

beijuuuuu grande!

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Paula, que texto bacana, com certeza muitas pessoas que aqui irão passar se identificarão com os sentimentos expostos, com as lutas vividas, com as batalhas vencidas e com as batalhas também perdidas...
E a vida é exatamente isso...um descortinar da alma e da mente, um reaprender...um refazer e principalmente um não desistir de sermos felizes...
O Dauri tem razão, um dos melhores textos que já li aqui...profundio...rs...porque somos realmente muito mais do que o pouco que escrevemos...
Um abraço na alma...show e bola o texto...bom domingo

Blue disse...

Vivemos para sonhar,
ou sonhamos porque vivemos?

Somos o que escrevemos,
ou escrevemos para mostrar o que somos?

Na verdade Paula querida, somos o que somos, e que cada um nos veja da forma que queria nos ver!

Bom domingo.

Amarísio Araújo disse...

E nos sonhos há vastidões bastantes!

Adorável divagação,minha querida Paula.Escrever é um pouco(ou muito?)como expor os sonhos às correntezas.E o que somos é uma soma do que percebemos,nós mesmos e os outros,em nós.
Sonhe,sonhe muito para que a existência seja plena,a sua e a dos que a amam.

Um lindo final de semana pra você.
Beijos.

Diogo Caceres disse...

Oi Paula, boa noite!!
Acredito que a vida busca todos os dias nos fazer realizar essa tarefa, sabiamente inscrita muitos séculos atrás no templo de Delfos: homem, conhece-te a ti mesmo!!
Parabens pela postagem, seu fds seja muito especial, abraço!!

Everson Russo disse...

Penso que somos a soma de tudo que sentimos, tudo que escrevemos, tudo que sonhamos, a gente vai acumulando tudo e o resultado somos nós, em loucuras, madrugadas, amor e desejos, na realidade quando a gente quer, nao quer...rs..rs...e ao contrario, jamais chegaremos a resposta de quem somos nós....quanto a sua pergunta no Livro, o ultimo post foi feito por volta de duas e meia de uma madrugada dessas...rs..rs...beijos querida, linda noite e otimo domingo...

Branca disse...

Paula,
que texto profundo que retrata tão bem nossos anseios e nossos receios tb.
Vc está certíssima amiga - existimos porque sonhamos!

Bom fds...bjo carinhoso.

Simples Assim... disse...

Curioso, acabo de vir do blog da Mai e entre tantas coisas, falava justamente dessa impossibilidade do outro nos ver, nos conhecer inteiramente. Seja pelo que escrevemos ou pelo que falamos, seja pela roupa que vestimos ou por nossos hábitos, seja pelo nosso tom de voz ou pela expressão que trazemos no rosto, ninguém pode nos ver inteiramente, nem mesmo nós próprios. Somos projeções de nós mesmos, somos a nossa imagem refletida no espelho. Há tanto que não se pode ver, não se pode chegar. Mas o que realmente me importa é o quanto o outro é capaz de se abrir pra olhar, não o quanto ele realmente é capaz de ver. Acho que saber olhar o outro, conseguir de despir de suas próprias verdades e realmente se abrir pro universo do outro, isso é uma arte e faz com que alguma pessoas tenham uma certa coisa que ninguém sabe definir ao certo, mas encanta, atrai.

Vc é uma pessoa de uma sensibilidade enorme, isso faz com que seus textos me toquem profundamente.

Quanto à foto, já gravei no meu rascunho, assim que postar o texto te aviso. Bjs !!!

Nanda Assis disse...

gostei do puxão de orelha em forma de versos.

bjosss...

Jacinta Dantas disse...

Que texto, mulher!
assim, vai desnudando o Ser que precisa e merece se (re)descobrir. Conhecer-se, para mim, é tarefa de toda uma vida. A gente vai... vai vivendo/conhecendo/vivendo/conhecendo, num contínuo, sempre.
Gosto de seus escritos.
Um abraço

Codinome Beija-Flor disse...

Paula,
Não poderia ser mais perfeito: "Sonho, logo existo. E para existir sonho."
Beijos

Memória de Elefante disse...

tantas noites na espera,vigília sem saber das cores do amanhecer,despertar vazio, quase assombração
hoje já nem sei se sou a poeira que fica
ou o vento que passou
assim foram meus sonhos,
embora eterno sonhador
(tive um dia difícil)
desculpe.

Carmen Martinez disse...

mania que têm de confudir quem escreve com quem escreve quem escreve. entendeu?

Jeanne disse...

Amigos, estou divulgando o blog de uma amiga, escritora e ótima cronista.
Vale a pena conhecer, o endereço é:
http://cinquentinhas.blogspot.com
ótimo final de semana a todos,beijos

1 z e r 0 disse...

"Sou um pouco do que escrevo....o resto talvez seja o que sonho. Sonho, logo existo. E para existir sonho."

genial, me enquadrei nesta definição sugerida por você, que contraria o pensamento cartesiano e simboliza os motivos pelos quais vivo e escrevo. vai pros favoritos.


um bom dia hoje e sempre
paz!

Memória de Elefante disse...

Paula!

Os sonhos são na realidade o que temos, somente eles nos pertencem!

Um Beijo e ótimo Domingo!

Poeta Mauro Rocha disse...

"Ele deve está tomando chá de cogumelo"Rsrsrsr!!Esse foi o comentário mais inusitado que já recebi, não parei de rir e imaginar os efeitos do chá,rsssrr, acho que vou tomar e se conseguir o mesmo efeito sem ter tomado vou vender a receita,srsrsrs.Tenha um ótimo domingo.Um Beijo e abraço!!

Luciano Braz disse...

TOdos somos muito mais do que podemos expressar minha amiga!

Não queiramos ser compreendidos ou amados como compreendemos e amamos, não queiramos fazer falta e ser objeto de saudade como sentimos falta e vivemos a saudade ... o que precisamos amiga é ter a consciencia de que em algum momento fomos insubstituiveis na vidade muitos ...



Abraço e bom domingo!

Luciano Braz

Everson Russo disse...

Um beijo do tamanho do universo pra te desejar uma otima semana, analisando minha agenda lotada, estarei livre dia 12..rs..rs..rs..rs..beijos

sergio martins disse...

oi,estive no Memória e concordo contigo sobre "videos",eles giram em torno de desencontros,onde tudo sai errado,até dar(ou não)certo!
gosto do que escreves,
com liberdade!

Dois Rios disse...

Sim, Paula. Somos o que escrevemos e nem sempre o que falamos aos ventos.
A escrita é exata, pensada, digerida em todas as linhas. Ao contrário das palavras que saem na emoção, no desatino, no desassossego, no desabafo.
Passamos a vida a nos descobrir. As vezes nos surpreendemos com o que somos ou não capazes de ser ou fazer. Sempre nos revelamos quando o coração se fragmenta. É justo nesse momento que descobrimos a nossa força e o lado oculto da nossa lua.
Quanto a sonhar, isso é vital. É o sentido de tudo.

Beijo,
Inês

Cαmilα ♥ disse...

Sempre nos descobrimos dia a dia... pois somos uma metamorfose, neah?!

E é bom nao contar tudo, misterios são encantadores.

Lindo, amiga!
BeijOs


Ps. Obrigada pelo comentário sobre a carta... passei o meme pra ti, se puder escrever, sei que ficará linda. =)

mfc disse...

A gente ás vezes distrai-se e escreve o que é...
Um beijo grande para ti.

Sol da meia noite disse...

É tanto e tão pouco o que sabemos...
Vamos sendo, estando, sonhando, vivendo...

Beijinhos * *

Daniel Savio disse...

Um conto para motivar a curiosidade...

Mas quem disse que mesmo que descobrirmos o que somos hoje, amanhã não seremos diferentes?

Fique com Deus, menina Paula.
Um abraço.