terça-feira, 27 de outubro de 2009

Caminho das ondas

Enseada dos Corais - PE


Feito as ondas
Vou e venho
Me arrebato nos arrecifes
Me refaço e vou
Me encho e volto
Para embelezar o grande mar da vida

Me quebro de novo
Na vida, na vida
E nas ondas da vida sigo
Me quebrando nas pedras
Me refazendo nas espumas
Entre grãos de areia e conchas

Crio vidas batendo nas rochas
Espetaculares ondas
Grandes ondas
Mansidão do mar

No mar me encontro
No mar da vida
Das rochas, das ondas
Dos redemoinhos
Vidas vivendo submersas
Tesouros em alto mar

Nos caminhos das ondas me refaço
Me debato , espuma viro
Sou onda de novo
Na imensidão desse mar vida

20 comentários:

myra disse...

lindo, lindo, lindo, e acho que meu irmao esta por ai, nestas ondas...
beijos, minha querida

Gilson disse...

"Nos caminhos das ondas me refaço
Me debato , espuma viro
Sou onda de novo
Na imensidão desse mar vida"

Não precisa nem falar muito né.

Excelente

Abs

Fabiano Mayrink disse...

No mar da vida estou, pedras vou encontrar, mais tudo e mar tudo e vida, do mar vou a arreia da arreia retornarei ao mar...

Maria disse...

Nos caminhos das ondas nos refazemos
no mar sempre renascemos

É tão lindo o teu poema, Paula...
Tenho saudades desses arrecifes. Um dia, quem sabe...

Beijos

Everson Russo disse...

Sabe o que dá vontade esse seu lindo poema? sentar numa pedra, uma bem alta, ficar lá de cima olhando essas ondas quebrarem, olhar pro horizonte e procurar nele o ponto certo de onde o amor mora, saudar o sol, a lua, as estrelas, e claro, aquele mesmo violão que calou se, colocar nele, ou descobrir nele o mais belo acorde de amor, de sonhos e de paz, depois disso tudo, deitar na pedra e ficar esperando pela chuva, pra ver se ela traga alivio imediato...mas claro que to numa fase mais pra ilha...isolado de tudo...beijos menina e um lindo dia pra ti.

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Savio disse...

E nas ondas, podemos ficar sozinhos, ou acompanhados, depende de comos queremos a a nossa vida...

Fique com Deus, menina Paula.
Um abraço.

Mai disse...

Eu me arrebento nos arrecifes e me refaço em Recife. (risos)

Bela fotografia, Paula.
Gosto do contraste dos rochedos com o mar. Lembrou-me metáforas do amor com o mar.
E o mar ama violento quando bate no rochedo e depois que se esparrama, volta manso e deixa com espuma, as marcas do amor das águas com as pedras. E nos rochedos ficam as marcas da água que fica demorado e depois só lembrança e memória do amor do mar nas pedras...
Esta imagem foi poética prá mim.

Beijos, amiga e boa semana para ti.

Franzé Oliveira disse...

A vida é cheia de altos e baixos.
A vida é inconstante.
Sempre se refazendo.

Bjos menina.

MR disse...

Lindo.

Por isso que mineiro fica desesperado para sair de vez em quando e ir para o litoral. Minas tem tudo menos mar. Falta esse movimento ao mineiro, a coragem de oscilar, como ondas, e se arremessar contra as pedras para virar a linda espuma. Minas representa o centro do Brasil, o coração, as raízes desse país multicultural. Mas falta mar.
Que voce tão maravilhosamente ilustrou com as ondas da vida.

Beijos

Vilminha disse...

oi amiga as vezes me bate aquela vontade enorme de ficar só a olhar as ondas do mar e ir deixando a cabeça ficar vazia de tudo e deixar so o coração ir batendo e falando pra mim o que ta sentindo e que o coração resolva tudo e não a razão, porque esta a razão sempre me faz sofrer.
Bjs e uma ótima terça.

Luiz Caio disse...

Oi Paula! Como vai?

E assim, se refazer sempre, e sempre continuar... Até que um dia, o próprio mar à compreenda!

TENHA UMA LINDA TARDE!

Beijos.

Betho disse...

Lindo poema Paulinha...
Beijão
Betho


Ps. tem vencedor no blog

Allyne Alves disse...

Que foto linda. É de tirar o folego!

E eu AMEI a sua frase "Antes de tomar juizo, ler a bula e ver contraindicações!"

rsrsrs...vc é mesmo demais, Paula!

Beijao, querida!

Jardineiro de Plantão disse...

Também podia ser ....

O mar enrola n`areia
Ninguém sabe o qu`ele diz
Bate n`areia e desmaia
Porque se sente feliz

Ao ler o excelente poema, com que nos prazenteia, lembrei-me dos versos acima do meu folclore.

Mas a imagem dada pela poesia é muito bonita...

Me quebro de novo na vida
E nas ondas da vida sigo
Me quebrando nas pedras
Me refazendo nas espumas
Entre grãos de areia e conchas


Carlos

Layara disse...

oi menina do clik no olhar...
sim, nos refazemos nas fases,nas estações da vida...assim vamos...sempre nos refazendo...

beijos no plural!

Lídia Borges disse...

Gosto do movimento sugerido no bailado das ondas que se desfazem e se refazem como sonhos desaguando na praia da vida.

L.B.

Gilson disse...

Entendi perfeitamente seu comentário e concordo plenamente com você que temos que ir jogando o lixo pelo caminho.

Abs

Opuntia disse...

É como diz Lulu Santos: "a vida vem em ondas como o mar, num indo e vindo infinito". O mar é mesmo uma boa metáfora para a vida, ou seria a vida uma metáfora para o mar?... rsrsrs

Bjos

O Sibarita disse...

Ta certa dona moça, refazer, ô maravilha! kkkkk

Ser onda é bom é? Adoro navegar nela, fico todo enfiadinho, só surfando! kkkkkkkkkkk

Porreta sua poesia dona menina!


bjs
O Sibarita