sexta-feira, 16 de outubro de 2009


O tempo se fez nublado
E era apenas meio dia
De um dia que prometia sol
E se fez noite
Assim de repente
Sem nenhuma trovoada
Sem nenhum sinal vindo do céu
Ou dos Deuses

Era meio dia
Eclipse total do sol e da lua
Só trevas
Só escuridão
E silêncio. Muito silêncio

De repente o tempo ficou sem céu
Sem lua, sem sol, sem estrela
Sem música, sem poesia
O chão da terra sumiu
Ao meio dia
Me deixando suspensa

Sem ar, sem luz


18 comentários:

Franzé Oliveira disse...

Seu poema é vago, bonito.
Uma verdadeira poetisa.

"Darei um tempo
Depois eu volto
Se não voltar
Me encontrei
Ou pode ser que me perdi
Darei um tempo
Me espera?
Mas tempo é fim
É pq morreu
Quando eu voltar
Quero estar feliz
Quando eu voltar
Quero abraço de alguém
Que adiantar se dar e não receber?
Quero voltar por inteiro
Se eu voltar..."

Bjos menina.

MEMORIA DE ELEFANTE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis F disse...

Obrigado Paula pela visita e pelo comentário deixado no meu Mar de Sonhos.

Aproveito e navego nas tuas palavras, no perfume dos teus poemas, no encanto da tua alma

Até breve

Bj
Luis

Luiz Caio disse...

Oi Paula! Como vai?

O poema é bonito, mas é triste!
E dias melhores virão!

TENHA UM LINDO DIA!

Beijos

Daniel Hiver disse...

A diminuição de luz no teu dia cria toda uma atmosfera que combina muito com o silêncio.
Andei escrevendo sobre a voz do meu silêncio no meio dessa madrugada depois que acordei e perdi o sono.
Acabo de ler aqui que teu silêncio também tem voz.

mfc disse...

E temos tantos dias assim...!
Demasiados dias!

Pedro disse...

Tem dias que simplesmente escurecem sem que saibamos o porquê.

claudete disse...

pode ter te faltado tudo mas ficou o principal,o renovador: o silêncio. Bela poesia .

Francisco disse...

Também notei isso, quando os meus semelhantes alados se esconderam em algum lugar! rsrs
Beijãozão, garota!

Layara disse...

Linda Guria!

que lindas letras...um eclipse, suave...
de repente, não mais que de repente...

Gostei que me enrosquei.

Beijos e otimo fim de semana!

myra disse...

que belo!!!!!! um beijo enorme mas gelado, faz um frio aqui faz dois dias, que paso o dia inteiro na cama!!!estou em letargo como os ursos, o inverno para mim equivale a inferno...

Mai disse...

Sempre fico me perguntando quando escreveu o poema. As fotos se encaixam, né?
Mas a mensagem que é clara é que o silêncio tem sons, guarda falas, o silêncio tem memória.

Beijos, amiga, espero que teu dia esteja ensolarado.

MEMORIA DE ELEFANTE disse...

Paula!

Passei só para deixar um Bom Dia...

Cadinho RoCo disse...

De repente é do nada que tudo acontece.
Cadinho RoCo

in natura disse...

Há muutos dias negros ultimamente e espero o sol. Lindo poema e blog. Parabéns. Beijuss

O Sibarita disse...

Foi mesmo, foi? kkkkkkkkkk E vc já veio? Oxente... kkkkkkkkkkk Sóa nada viajando e encontra uma zorra dessa?

É caso para pensar! Valha-me Deus! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Rapaazzzz, escureceu tudo, se fez silêncio? Xiiiiii... kkkkkkkkkkk

E vc fia? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

BOM, TÁ PORRETA COMO ESCREVEU, ME TREMI TODO DE MEDO! kkkkkkkkkk

Ô Mulher danada meu Deus! kkkkkkk

Vc é 100000000000000000000...

bjs
O Sibarita

Everson Russo disse...

Meu tempo tem estado assim, sem lua, sem sol, nublado, estrelas caindo pelo jardim, um vazio enorme, paginas de um Livro que não sei se vale a pena...mas vamos seguindo em frente, quem sabe numa outra estação tudo mude,,,,vamos acreditar....beijos e linda semana...

Jardineiro de Plantão disse...

Que o nublado seja curto e que o Sol brilhe em todas as suas manhãs... que a escuridão nunca exista e que o chilrear dos pássaros esteja sempre presente.

Beijo, Carlos