quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Rio de Janeiro - set-09


Já não sou alegria nem tristeza
Sou poema
A solidão e a ausência não me preenchem
Sou o nada que vaga nas entrelinhas
E o teu olhar?
Me olha e me preenche
Mas sou rasante e transbordo
Existência rio e escorro
Sou redemoinho no mar
Em parafuso me afogo nos teus carinhos
Que me tocam
Eriça a alma
Arrepiada e em desalinho
Me desconcentro de mim
Suspirando tufões

16 comentários:

Everson Russo disse...

Interessante, voltei pra responder e perguntar e olha que lindo, post novo, eu falei no Livro que sou tudo aquilo, e sou nada, aqui voce diz que não é, acho que andamos fora do ar, aquele velho estado alterado está pegando de novo...rs...rs....e não é que depois voce disse que é...rs..rs...estamos ficando fora do ar mesmo...rs..rs...por aqui as madrugadas tem sido loucas, essa ultma entao, nossa, a caneta estava viciada no papel, ela escrevia sozinha, logico que eu pensava..rs..rs...então voce acha cedo pra escrever a ultima pagina do Livro? eu gosto dele seim, mas sei lá, parece que ando repetitivo, sempre tenho essa sensação, e gostei do arvore de cabea pra baixo, outra visão, eu vi como reflexo na agua...rs..rs...rs...beijos e lindo dia....

Everson Russo disse...

Aha....primeirão.....beijos THE WINNER.

Franzé Oliveira disse...

VOCÊ É VIDA MENINA.
VULCÃO, POESIA E MUITA EMOÇÃO.


Bjos.

Tata disse...

O Rio é sempre inspirador, não é mesmo???

E seu poema...arrebatador! Lindo!
bjinhos

MEMORIA DE ELEFANTE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MEMORIA DE ELEFANTE disse...

Obrigada, Paula!

Tua generosidade e carinho é apenas a extensão de tua alma...chegaste no momento em que na minha "chegada", precisava ouvir as palavras que ali deixastes, mais uma vez ,obrigada...!!!

Ah! Esqueci de dizer a foto do Mar associada ao poema está magnífica!!!
Beijo e Bom final de Tarde!

Joaquim Carrapato disse...

As paixões e os sonhos são coisas boas. Não se procuram, encontram-se! Acontecem.
Tornei-me seguidor dessa tua busca. Vou tentar estar por aqui quando encontrares.

Abraço aqui de Évora Portugal

Jardineiro de Plantão disse...

Está arrebatadora... Refulgindo paixão, por tudo quanto é poro...

E a foto é belíssima, dando força ás palavras, nesse vai vem ondulante e seu distender espumoso.

Abraço deste amigo.

Elcio Tuiribepi disse...

Paula, sua produção está em plena ebulição, está me lembrando até o Dauri que escreve no minimo um poema por dia...rsrs...
Brincadeiras a parte vi que este foi feito em setembro no Rio...passeio, viagem, férias...sempre bom ter um tempinho para escrever coisas novas, justamente o contrário do que vem me acontecendo, ando mesmo sentindo falta de escrever...mas ando super enrolado com a facul...
Um abraço na alma, que a poesia te esteja sempre...bjo

Everson Russo disse...

Bom dia minha querida, relendo esse turbilhão de emoções que tambem sou, aqui desejo a voce um maravilhoso final de semana cheio de amor, poesia e paz...beijos na alma.

Vanna disse...

Isso é amor, é paixão é tesão.
Bjs, bom fim d semana.

MEMORIA DE ELEFANTE disse...

Apenas me detive no poema,quero desejar um ótimo dia...sem desassossegos grandes!

Beijo

myra disse...

..e vc. é um lindo poema:))))
beijos e saudades imensas do Rio...e de todos que por ai deixei...

Fabiano Mayrink disse...

que delicia de foto, estou a precisar urgente de ir ao litoral, sinto falta da praia

mfc disse...

Há sempre um outro que nos completa e nos faz sorrir.

O Sibarita disse...

Pois é, né? kkkk Esse vulcão em erupção na solidão?

Oxente fia? Diga isso não, me comove! kkkkkk

Ai Deus, essa solidão da lua em pleno sol de amaranto despontando na sua janela, sem ela enxergar! kkkkkkkkk

Porreta sua poesia

bjs
O Sibarita