domingo, 18 de outubro de 2009


Poema

...é minha verdade, as verdades do momento escrito, do momento lido.

...é o que me deixa ter asas nos pés, ou pensar que faço amor com as palavras, por deitar nelas minhas emoções.

...fala por mim, fala de mim, me deixa mentir, me deixa me esconder, mas me mostra. Só para quem sabe ler por baixo da minha pele em arrepio.

...não é meu todo, é minha parte, é meu minuto, o último suspiro, a última gota...

....é o que me cala, o que me grita, o que me instiga. O não visto, o não tocado. O muito sentido. Sem sentido, por vezes.


...é a janela aberta, que entrei voando. É a porta fechada que tento entrar.

15 comentários:

Tata disse...

Poema é a palavra que não quer ficar apenas no papel, teima em quer voar, em querer ser mais do que escrito, quer ser sentido, e em versos como esses realmente eles não fivam apenas no papel, a gente sente!

lindo post!

bjinhos

Maria disse...

Excelente reflexão do que pode (deve?) ser um poema. O nosso poema. Parte de nós, afinal.
Muito belo, Paula, e vermelho sangue, como a buganvília...

Amei!

Beijo

Memória de Elefante disse...

Um poema não se explica!
Sinto aqui articulares uma voz com lineamentos esparsos, restos, sons,
memórias de afetos e coisas
que do ar uma voz
se acresce e assim
desenha linhas
não apenas no espaço da imaginação
mas
-desde a alta intensidade
até o limite da existência...

Abraço e Boa Noite

Memória de Elefante disse...

Voltei,deixo para um poema bonito outro :

Plano
Trabalho o poema sobre uma hipótese: o amor
que se despeja no copo da vida, até meio, como se
o pudéssemos beber de um trago. No fundo,
como o vinho turvo, deixa um gosto amargo na
boca. Pergunto onde está a transparência do
vidro, a pureza do líquido inicial, a energia
de quem procura esvaziar a garrafa; e a resposta
são estes cacos que nos cortam as mãos, a mesa
da alma suja de restos, palavras espalhadas
num cansaço de sentidos. Volto, então, à primeira
hipótese. O amor. Mas sem o gastar de uma vez,
esperando que o tempo encha o copo até cima,
para que o possa erguer à luz do teu corpo
e veja, através dele, o teu rosto inteiro.
Nuno Júdice

Everson Russo disse...

Um poema e tudo isso e muit mais, e a alma da gente se expondo, colocando pra fora todos os sentimentos, todos os dramas e conflitos da nossa eterna busca pela paz e pelo tão sonhado e perfeito amor,,,será que ele existe em alguma galaxia distante? beijos querida e uma otima segunda pra ti

Jardineiro de Plantão disse...

Uma exponencial paixão, terminando numa metáfora extrema, bonita de bom gosto, onde carrega o deleite do seu ser.

...é a janela aberta, que entrei voando. É a porta fechada que tento entrar.

Abraço, Abraço… Deste seu amigo do outro lado do Oceano.

Carlos

Tatiana disse...

E seus poemas por serem tudo isso... mostram o universo lindo que existe em seu coração!

Um beijo carinhoso e um bela semana para o seu coração.

Cris Animal disse...

Paula, estava viajando....

Que demais o post anterior a este. Sou suspeita.....rs
Amei as fotos e as palavras e...neste último post ´parece um monólogo de sua alma. Algo que não podeia reter em vc mesma. Como lançar a pipa ao vento e depois...soltar a linha!

Lindo pra caramba!


beijo grande

myra disse...

sim os poemas somos nos, e este teu é super!
um beijo com muito calor,mesmo si aqui faz um frio horrivel:))

Mai disse...

O poema de uma pensadora. Andarilha que colhe poemas em fotografia.A flor é buguenvile?
Beijos e boa semana, amiga.

Gilson disse...

Paula, são muito sutis sim. Poe isso temos que está atentos para que o amor seja puro e livre. E não um castigo.

Abs

Gilson

Gilson disse...

Paula

Quando amamos somos como dois anjos pela bençaõ de Deus. E amor dura e resiste a várias tempestades da vida, mas o mais legal é vc estar ali junto da pessoa amada vários anos seguidos.

Abs

Ava disse...

Paula, minha querida!

Sabes que amo seu carinho...

Estava curtindo os mares da Bahia...

Essa semana coloco minha vida virtual em dia...rs


Beijos e saudades!

Silvana Nunes .'. disse...

...............................................
Maravilha o seu cantinho.
Na intenção de divulgar o meu trabalho, cheguei até você.
Gostei muito do seu espaço. Eu não estou podendo ler tudo de uma vez porque a tela do computador atrapalha um pouco a minha visão, mas certamente voltarei mais vezes. O meu oftamologista pediu que desse um tempo da telinha... e eu sou fraca ?
O meu território já está demarcado.
Convido a dar uma espiada em "FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER.." ( o seu cantinho de leitura), em:
http://www.silnunesprof.blogspot.com
Terei sempre uma história para contar.
Saudações Florestais !

Ana Lu disse...

Poema.. Escrever..
É o que realmente nos da asas
e permite que façamos o que queremos com nossas emoções. Mais uma vez vc expressou tudo o que a gente pensa
*_*
Beijos Paulaa