segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Portas do ser



Palavras vão me comendo
Bebendo dos meus líquidos
Acariciando trevas de mim

Nunca sei se as palavras estão em mim
Ou se estou nas palavras
Onde me encontro?

Deambulo por meus espaços
A procura da porta por onde entrei
Encontro dobradiças enferrujadas
Rangidos de portas pesadas
Fechaduras lacradas

Onde estou?
Quem sou eu?
Palavras e palavras vagam no meu ser
Vão tirando de mim raspas de sentimentos
Entro por vãos não percorridos
Grutas escuras e desconhecidas
Portas por se abrirem

Palavras me sorriem
Aceno com mais palavras
Entramos no esconderijo do não dito
E vamos seguindo
Entre o se perder e o se achar

19 comentários:

HSLO disse...

Paulinha,


Obrigado pela presença de sempre em meu blog. Amei a dica do filme...viu.

abraços

Hugo

Jeanne disse...

Olá, o blog http://conscienciaevida.blogspot.com completou 100.000 acessos.
Estou esperando tua visita para comemorarmos juntos.
Beijos :)

Uma aprendiz disse...

Beijos, mocinha


saudades de ti, saudades daqui.

Bom te ler.

beijos

Gilson disse...

Palavras são palavras que quando bem empregadas fazem o outro sorrir, mas quando maus usadas sõ capazes de ferir.

Abs

Nanda Assis disse...

que linda. vc tem o dom das palavras.

bjosss...

Cadinho RoCo disse...

Mas a vida não é o ir e vir entre achados e perdidos?
Cadinho RoCo

Layara disse...

...assim vamos, entrando em tantas portas, se me acho ou se me perco não sei
apenas sei que as portas todas se abrem e eu vou...

Versos Lindos, lindos...

beijos lilases!

Monday disse...

Acho que foi a primeira vez que vi um verso grafado com deambular! Ficou legal, diferente.

E o poema, interessante ...

Franzé Oliveira disse...

Menina Paula seus versos são bons viu?
As palvras são sempre um redito. Acho que elas já estão na gente. Ditas em contextos diferentes,mas são as mesmas.

Bjos linda.

Dois Rios disse...

As palavras são o nosso elo com a vida.

Beijo,
Inês

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jardineiro de Plantão disse...

Taciturna hoje...
Espero que o dia lhe traga, mais e mais alegria e que as palavras e os ecos, lhe transmitam múltiplos sorrisos.

XiCoração

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!! Portas são abertas e fechadas e abertas para que a cada dia as expectativas da vida sejam saboreadas e reveladas nas perguntas seculares: "Onde estou e Quem sou"

Beijos!!

myra disse...

talento voce tem de sobra, bem, nunca é sobra de mais:)))
beijos,

Everson Russo disse...

Vou definir assim, eu me encontro nas palavras e vez em quando elas se encontram em mim, as vezes uma simples vira um verso, uma cançaõ....e dai vai....um beijo querida e uma linda tarde, hoje to atrasado, cheio de trabalho na mesa...rs..rs...

Cleo disse...

Lindo demais Paula,
"Nunca sei se as palavras estão em mim
Ou se estou nas palavras
Onde me encontro?"

acho mesmo que você está nas palavras e as palavras estão em ti.

tudo perfeito.
Grande beijo no coração.
Cleo

caurosa disse...

Minha amiga Paula Barros, as palavras estão divinamente colocadas neste belo poema, parabéns,que bela imagem, ela transpira história.

Muita paz, harmonia e inspiração,

Forte abraço

CAurosa

Daniel Hiver disse...

Oi Paula...
Fantástica maneira de definir como as palavras se configuram e dão um jeito de sair. É assim mesmo. Como se elas nos comessem... como se experimentassem nossas líquidos e iluminassem nossas profundas trevas.

Daniel Savio disse...

Ai, ai, como assim não sabe qual palavra está dentro de ti?

É claro que sabe, pois cada palavra responde ao estimulo correto, por exemplo, sorri de felicidade ao ver ao amado...

Fique com Deus, menina Paula.
Um abraço.