segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Continuando a Série Silêncio. Estou bem. Foi um momento que fez surgir vários escritos.


Foto: Paraty-09


O silêncio do outro desfolha
Arranca seiva dos olhos
Faz da alma uma árvore nua
Vulnerável ao vento, ao sol, a chuva
Ao mar de inquietações
Desestabiliza as raízes

01.01.10

27 comentários:

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

O silencio do outro as vezes traz plenitude e paz. E as vezes entristece o coração. Comigo é assim.

Teu poema não sei bem porque me lembrou o conto de Mia Couto (moçambicano que tomou meu coração): " o embondeiro que sonhava pássaros".

Não sei bem o porque, li-o novamente e mesmo sem entender a parecença (rs), continuei a achar semelhança.

(A foto: sim, sou eu e minha filha. Ela tem 8 anos, eu, 38. Foi tirada nas últimas férias de julho :D)

Beijo

=)

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
EDUARDO POISL disse...

Querida amiga desculpa a minha não presença aqui neste lindo blogger, mais como eu trabalho com turismo e a ilha de Santa Catarina esta lotada, não tive muito tempo para comentar nada no blogger.
Abraços

Nanda Assis disse...

a imagem é bem forte ne, cheia de sentidos, vindo com todo este silencio.

bjosss...

Garota Misteriosa disse...

o silêncio as vezes é uma forma de olhar o outro, de analisar, de pensar na palavra certa para dizer...

as vezes o silêncio é desejado, outras vezes é uma tortura.

em certos momentos o silêncio é o momento ideal para mostrar o que o coração sente, a mente pensa e o corpo deseja.

Abraços, lindo post, na verdade interessante.

Dauri Batisti disse...

vais fazendo um caminho bonito com as palavras. O silêncio é um belo tema. Siga em frente.

Mai disse...

Expostas ou não, as raízes sustentam e nutrem.
Beijos, amiga.
manda notícias.

♥ Cαmilα Girαssol disse...

O silêncio de quem queremos ser lembrados é muito triste.
Mas pior é quando nossos risos silenciam-se.

QUe bom que já está bem.


BeijO Paulinha, e um 2010 lindo pra ti.

Everson Russo disse...

Acredito que todos nós, loucos normais, precisamos do silencio, precisamos ser essa arvore despida pelo vento e vulneravel, temos que no silencio entender nosso limite e nossos monstrinhos interiores...um beijo menina e um lindo dia pra voce.


p.s. viu que vexame? ganho o presente, tento fazer uma homenagem a altura e chuto o balde, coloco o link errado...rs..rs..rs...k por c....acho que to ficando velho...obrigado por avisar....

Gilson disse...

O silêncio dos outros nunca é bem vindo, sou sempre favorável a troca e a participação.

Paula, seus questionamento são rápidos...rs.rs...

Bjs

Layara disse...

Paula Menina do olhar sempre em clik, noos presenteia com tão lindas imagens e com versos de tantos sentimentos que é impossivel não emocionar.

Linhas Sentidas.

beijos!

Pedro disse...

Tô adorando essa série silêncio.

Paulo Palavra disse...

Oi Paula!
é verdade que não queria ter trabalho em postar as fotos do Tango. Mas na verdade é que elas não ficaram muito boas também, entao nem vale a pena.

Quanto a gostar do Tango, depois vou escrever mais sobre isso. O tango em si é lindo e você pode vê-lo no meio da rua. o que me irritou no espetáculo foi a demora, a enrolação e a chatice do cantor. mas existem outras casas de tango para ir que não tem o mesmo estilo da que eu fui.

Volta lá no blog que ontem mesmo já postei mais sobre a viagem!

beijos!

HSLO disse...

Nossa...essa imagem deu uma vida nesse texto viu Paula.


abraços


Hugo

Maria disse...

Quantas vezes em poucas palavras dizemos tanto... é o caso desta série, que estou amando!

Beijo, Paula

Pelos caminhos da vida. disse...

Feliz 2010 Paula.

beijooo.

Jardineiro de Plantão disse...

Ainda bem que postou o aviso inicial...

É que a série que produz... tem pensamentos que traduzem um estado de alma de verdadeira angustia e melancolia.

"O silêncio do outro desfolha
Arranca seiva dos olhos
Faz da alma uma árvore nua"

Abraço fraterno

Tatiana disse...

Muitas vezes precisamos de uma pausa... do silêncio para ouvirmos a voz interior!
Mas o silêncio do outro... Esse sim é arrasador!

Um beijo carinhoso

Mågø Mër£Îm disse...

Aprendi a lidar com o silencio alheio por ser exatamente assim que ajo qdo acho necessário... só que realmente desestabiliza, ah é verdade!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Cara amiga.

É como diz o poeta:
"no silêncio eu não escuto os meus gritos..."
Lembrei-me desta canção ao ler tua série de poemas.

Obrigado por cada palavra dividida em 2009. Pelas visitas e pelas lembranças.

Que neste ano de 2010, você possa ser o melhor presente na vida de alguém, dividindo o encanto da vida na construção do belo, do bem, do melhor do mundo.

Gisa disse...

O silêncio é bom mas com moderação :p
Legal ter aparecido, e fique mesmo bem.

bjs

Diego disse...

O silêncio sempre diz mais que palavras. Difícil é ouvi-lo.

Elcio Tuiribepi disse...

Sei lá...é...o silêncio é bom, mas ainda prefiro um burburinho, nem que seja na alma, pois as vezes o silêncio grita dentro da gente muito mais forte do que qualquer outra palavra...
Mas ele é bom sim, faz parte do nosso crescimento...
Um abraço na alma...bjo, e que a inspiração não silencie...

myra disse...

"arranca a seiva dos olhos", oh! beleza!!!!!
esta serie de silencios é super belo!
beijos,

Sol da meia noite disse...

Nem sempre o silêncio nos dá paz... bem pelo contrário. Há um silêncio que é dolorosa inquietação.

Abracinho
:-)

O Sibarita disse...

Tá tudo certo, e esse silêncio acaba quando fia? kkkkkkkkk

bjs
O Sibarita

Daniel Savio disse...

Mas o silêncio, por mais que tire as folhas, quando há uma amor verdade, não consegue matar a árvore...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.