sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

.
Margem do rio em Tamandaré-PE


Mas eu, quando navego pelo rio, rio acima e rio abaixo, apreciando as profundezas das águas, ou as margens, nas madrugadas ou dia claro, não ouso falar tudo que deságua em mim, nem relatar o que se passa no meu pensamento de águas fluídas.......talvez nem a um padre eu contaria as febres, as obscenidades, os delírios ....do encontro dos rios com os mares.

Vou navegando, descobrindo mares, adentrando rios, hora a emoção toma o leme e me dirigi, hora a razão toma o comando.....no encontro do rio com o mar, nas porocas de mim, me navegam palavras....
 
Rio São Francisco - Penedo - Al
 
Praia Bela - Paraiba
É lindo o encontro do rio com o mar. Um espetáculo bonito.

27 comentários:

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Memso diante do mais belo espetáculo não ouso me expor por inteiro.
Será auto proteção?
Eu acho que sou um pouco covarde, um pouco(muito) timida, e apesar de falar muito, de mim falo pouco.

Refletirei.

Beijo!

Everson Russo disse...

Penso eu que nós somos mesmo como rios,,,sempre almejamos a imensidão do mar,,,e quando lá estamos,,,lá nos perdemos, e lá nos afogamos,,,sempre os medos, sempre os desejos misturados com conflitos,,,monstrinhos de nossa mente,,,sobras da solidão,,,e enquanto estivermos assombrados por esses vultos,,,melhor apenas a calmaria do rio,,,na imensidão da alma.....beijos e um lindo final de semana.....

Mai disse...

Adorei, Paula. (risos) Estou rindo da 'confissão' dos inconfessos pensares e dos humanos desejos. Você é assim, se desnuda quando se veste. Beijos, pensadora querida.
Bom final de semana.
(A fotografia é um convite à mansuetude e reflexão.)

Blue disse...

Andarilhando por sobre as águas, chego até o Rio Capiberibe!
Águas que caem do céu e formam este lindos rios. Embora as vezes, deixando rastros de destruição. Natureza!

Beijos. Pois é ...... voltei, talvez mais devagar, mas ainda andando e divagando!!! Obrigado.

O Sibarita disse...

Ô dona moça! Desculpe o sumiço, viajando a trabalho, viu?

Tem coisa melhor que o encontro do rio e mar? Não tem, né? kkkkkkk

Navegar é preciso, ainda, que seja em sonhos, aiaiaiaiaia... kkkkkkk

Você cada vez maius escrevendo porretamente, faça fé!

bjs
O Sibarita

Prof. Sergio Ricardo disse...

Demais... como vc consegue prender a leitura pelos sentimentos mais nobres. Excelente final de semana Paulinha. bj

myra disse...

que saudades de tudo isto, tao maravilhoso1
beijossssssssssssss

Eurico disse...

Paulinha Barros, amiga, irmã, amada, bom dia, bom dia mesmo!!!
Voltei a postar.

O Sol nasceu de novo!!!


BOM DIA!!!

Maria disse...

O encontro do rio com o mar, aquela fusão de água, é um enorme abraço de amor e uma explosão em orgasmo. Assim o vejo, Paula.

Um beijo
(e quanta saudade de Tamandaré...)

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vivian disse...

...nada pode conter a fusão
das águas, rio e mar, quando
dominados pela fúria das paixões.

assim somos nós...

um beijo, minha linda!

Xanele disse...

Sensacional, e incríveis as imagens...
Bjsss Amore

HSLO disse...

Essas imagens fez lembrar da belíssima música Francisco cantada por Maria Bethânia em um dos seus show...veja abaixo.


_______________________



Francisco, Francisco

O menino e velho Chico viagens
Mergulham em meus olhos
Barrancos, carrancas, paisagens
Francisco, Francisco
Tantas águas corridas
Lágrimas escorridas, despedidas, saudades
Francisco meu santo, a velha canoa
Gaiolas são pássaros
Flutuantes imagens deságuam os instantes
O vento e a vela
Me levam distante

Adeus velho Chico
Diz o povo nas margens

Pedro disse...

Poucas coisas são tão incríveis como as "pororocas" literárias.

Dauri Batisti disse...

Se a leitura do meu texto te inspirou este fico feliz. Tuas palavras são sempre correntes de um rio de sentimentos bonitos.

Um beijo.

Olavo disse...

Passando para desejar um excelente final de semana..
Beijão

Everson Russo disse...

Um lindo sabado pra voce querida,,,,obrigado sempre pelas suas visitas e comentarios,,,voce bem sabe o quanto são importantes no Livro,e o quanto fica um vazio quando voce não vai.....beijos e lindo sabado pra ti....

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Não há do que se desculpar =)
Será que foi problema do meu blog?

Depois me avisa se conseguiu sair normalmente

Beijo, Paula

Garota Misteriosa disse...

Que gosto poder navegar um pouquinho por sua marola de seu rio.

Não sei se sou mar, rio, lago ou cachoeira, mas sei que não tenho a vida como linha de horizonte.

Abraços:)

Luis Eustáquio Soares disse...

rio acima, rio abaixo, com suas duas formas de vida, a primeira, rio acima, em que nadamos na contracorrente, contra as tendência dominantes, singularmente, revolucionariamente; e a segunda, rio abaixo, em que nos deixamos levar pelo fluxo e desfluxo de tudo, por sabermos q a vida é curta e que, por isso mesmo, nadar contracorrente é nadar livremente, sem correntes.
beijos
luis de la mancha

Cadinho RoCo disse...

Estamos sempre indo para o mar.
Cadinho RoCo

Fabiano Mayrink disse...

Concordo com voce o encontro do rio com o mar e muito bonito de observar, duas aguas diferentes uma doce e outra salgada tentando de misturar se aceitar, e a vida que ali fica os peixes que de uma agua para a outra passa sem nem sentir nada, acho isso muito bacana um abraço apertado!!

Unseen Rajasthan disse...

Beautiful shots and fantastic post !! Thanks for sharing..

Karl d'Jo Menestrel disse...

Quando as águas se encontram, dá sempre lugar a uma brilhante visão do enlace que as mesmas dão... o mesmo sucede com as paixões.

Que tenha um resto de domingo bem brilhante.

Abraço bem amigo.

walter disse...

Oi Paula,
Eu me emocionei ao escrever a história, por razões óbvias, apesar de sentir não ter muito jeito para este género. É coisa simples e singela, mas que para mim tem significado maior.

O passeio de bicicleta foi bom, busquei o relaxamento, a paz de espirito necessária, para depois me entregar com alma à escrita da mesma.

É sempre um prazer vir até ao teu espaço, um imenso rio, cheio de curvas e contra-curvas, onde as águas galgam as margens para extravasarem a emoção, pela pressa de o mar alcançarem...

Continuação de um bom domingo
Um beijo

tulipa disse...

Partilho do mesmo sentir...
Sou apaixonada por fotografia:
FOTOGRAFAR É PARA MIM, TAL COMO A COMIDA, UMA NECESSIDADE.POR ISSO, VOU CAPTANDO IMAGENS DOS LOCAIS POR ONDE PASSO.UNS MAIS BELOS QUE OUTROS, MAS TODOS DIGNOS DE UM REGISTO.

Neste momento está patente ao público uma exposição minha, com fotografias de uma viagem à Índia.
Boa semana.

Daniel Savio disse...

Ma há rios de água salgadas e água doce...

E bom texto par refletir...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.