segunda-feira, 18 de janeiro de 2010


foto Brasília - 2009

Muitas vezes penso e sinto que o escrever pode ser um delírio da alma. Uma expansão de nós mesmos com a alma se dilatando, soltando-se, libertando a nós mesmos.

Por isso sempre digo que o poeta não mente. Ele sente, sente em demasia, sente o que não entende, sente o improvável, sente o que não vê e não é palpável, sente a ilusão como se fosse real....tudo é sentimento.

Alguns sentimentos são inexplicáveis, indeclaráveis, impublicáveis, e que muitas vezes não podem ser vividos. Mas para a emoção existe. O querer existe. A fantasia existe.

Vem a poesia e fala por nós, com metáforas ou não, com entendimentos ou não. Acalma o coração. Faz a alma dançar, pular, cantar, assoviar. A razão se inquieta e arde.
Mas que importa a razão? Se o corpo sente a emoção. Se a poesia dá voz e movimento a alma.

28 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Pôxa, nesse você invadiu minha mente e me "roubou" essas palavras. Brincadeira, é que o tezto está simplesmente perfeito e verdadeiro. Ótima semana.Beijos

Everson Russo disse...

Ate que enfim alguem concorda comigo...rs..rs..rs..o poeta jamais mente, ele viaja, sonha, caminha entre estrelas, baila entre nuvens, tem o poder do sol e da lua, tem plena consciencia de sua falta de consciencia, é um louco normal, chora e ri na mesma intensidade, sofre e se deleita, a diferença é que tudo que um poeta sente é mais intenso, a aquarela do poeta é bem mais colorida, um dia ainda chego lá e consigo entender ao certo o que é ser poeta,,,,por enquanto apenas posso falar do que ouço....um beijo e uma linda semana pra ti....

Malucas de BR (*.*) disse...

Assista ao Vídeo Novo, 1° Programa das Malucas - Assunto Reality Shows

http://www.youtube.com/watch?v=SrsqlINiGOg

Agradecemos Pela Colaboração:)

Ana Cristina Quevedo disse...

É impressionante como somos semelhantes nesta área hehehe

Também sempre digo que as emoções que as vezes transparece em minhas poesias não são minhas, muitas vezes são parte do meu querer, parte do sentir de outro.

Mas, mesmo assim, reais. Na minha mente.

Beijo, Paula.
Sou sua admiradora mor rs

Mai disse...

Esta tua fotografia transmite, ao mesmo tempo, paz e abandono. Talvez a escrita promova algo semelhante e nisto - na composição - você é muito precisa. Beijos, Paula

Prof. Sergio Ricardo disse...

Quem sou eu para contrariar suas palavras. Vc tem toda razão e sobre a razão, realmente, é contraditório quando a emoção fala mais alto. Bj Paula e um 2010 cheio de renovações para ti e sua filha linda.

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sol da meia noite disse...

Quantas vezes se escreve o que nem a mente entende... mas a alma sente.

Uma boa semana.
Beijinho *

Pedro disse...

Difícil definir o que é, mas é um canal maravilhoso.

Maria disse...

Por isso o poeta não mente, apenas sente, e escreve o que sente! Como concordo contigo...

Um beijo, Paula

Dauri Batisti disse...

O teu ponto de vista é o que importa. Nele te compreendes e realizas teu amor. E o que importa afinal é a expressão de cada um, dando maior ou menor espaço à razão, valorizando mais ou menos a emoção. Eu sempre tento incluir uma terceira margem, a imaginação.

Um beijo.

DE VEZ EM QDO VENHO AQUI disse...

emoçao sempre...lindo texto,bj Paula!!maravilhoso 2010!!!

Salvatore disse...

Eh Brasilia nesta foto????

Juliane S. Rocha disse...

Neste momento de nada serve a razão
Beijos e tenha uma ótima semana!

O Profeta disse...

O troar do trovão, esta incessante chuva
As estrelas choram todas as mágoas na terra
Onde param os Anjos, porque não nos acodem os Santos
O mal e o bem porfiam esta eterna guerra

As casas do sul ruiram todas
Tal como a esperança desesperada
Toquei no rosto de uma criança triste
Senti uma paz surgir do nada


Mágico beijo

Karl d'Jo Menestrel disse...

Ao escrever, me liberto de um todo e não de uma parte,
O tempo passa, me relaxa numa agradável sensação.
Crio e recrio, fantasias, quimeras e sonhos.
Me revivo no que escrevo, me arrumo na emoção
Me coloco no impossível, imponderável,
Inalcançável, em meu mundo de ilusão
Navego ao sabor da escrita, qual marujo emocionado,
Ouvindo sereia cantar no meu imaginável mar
Brota escrita, palavras, enredos em lunática paixão
A Sinto a entendo como fosse real, a fuga dum sentimento.
A Alforria do pensar assim a ganho da opinada razão.

myra disse...

o poeta nao mente nunca! eu acho que os sentimentos sao sempre reais, verdadeiros, muito mais de que pensamentos digamos "pensados"...demais..
um enorme beijso,
PS. sabe eu estive na inauguraçao de Brasila...seculos atrs...era jovem, participei , nao como artista, ainda nao era meeeesmo, participei como tradutora, là eu conheci o meu marido Mexicano, Miguel salas Anzures:)))

Everson Russo disse...

Ai menina,,,,que bom que voce gostou do comentario, fico feliz com isso, interessante que eu sinto a mesma coisa, fico sempre esperando o seu, a sua vidão daquilo que escrevi,,,é aquela sintonia que a gente sempre fala, aquele estado de consciencia alterado que só a gente conhece das loucas madrugadas....um beijo e um dia lindo pra ti....

Tatiana disse...

Concordo plenamente com cada palavra escrita por você!

Uma semana de dádivas para o seu coração!

Um beijo carinhoso

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Paula...com certeza...nessas horas se dá razão a emoção, sem não me toques,pois o corpo e a alma se manifestam por intermédio das palavras, da emoção, dos sentimentos...
O poeta escreve a dor que as vezes nem é sua...é que ele absorve, acolhe, abraça sentimentos, aí depois fica tão repleto deles que tem que desafogar alma...acho que é isso...rs

Parte colada...rs
Mudando de assunto, eu agora te convido a participar do aniversário de três anos do Verseiro, no dia 26 de janeiro.
A idéia é que cada um que queira participar, faça uma postagem colocando uma foto sua quando criança ou adolescente junto a irmãos, primos ou amigos e conte alguma passagem de sua vida nessa época, alguma travessura, algum fato que marcou em sua memória de forma alegre, engraçada...rs
Vamos comemorar e sorrir juntos...
Conto com sua presença, mas fique a vontade quanto a fazer a postagem ou não ok...

“O passado não reconhece seu lugar
Está sempre presente”

Mário Quintana

Um abraço na alma...bjo

myra disse...

minha querida paula, bom dia, voce nao quer dar uma olhadinha no blog de meu irmao? parece que ninguem mais olha:((( fico triste, porque nao somente fiz para conversar com ele mas tbem para que os amigos,escrevam algo a ele,
obrigada se fizer...
beijos

www.gigi-e-myra.blogspot.com

DE VEZ EM QDO VENHO AQUI disse...

kd tu???bjj

Uma aprendiz disse...

Oiiii

que lindinho.... amei.

Posso postar um dos seus textos no meu blog?

Me avise.

beijos

Everson Russo disse...

Minha amiga, fico feliz sempre com seus comentarios no Livro, sabes disso, penso que te entendo porque voce me entende...rs..rs..rs..é reciproco....e isso me dói mais ainda aquela amarelada daquele dia...rs..rs..rs...acho que vou morrer com essa, ou então voce volta por aqui, traz de volta minha areia....e eu toco ao menos uma musica...rs..rs..rs...

p.s. deixa eu te falar uma coisa,,,ontem fiquei super feliz, voltaram o Prof.Sergio e a Elane, e dentre todas as visitas que fiz, fui na Vilminha, outro anjo do blog mundo,,,comentei com ela da minha alegria de ver os amigos de volta,,,ela concordou e me disse assim, pra mim tambem foi demais, ver voce, o Sergio e a Elane por aqui, só faltou a Paula...rs..rs..rs....dá uma passadinha lá......beijos carinhosos de bom dia.

Cleo disse...

Poeta é meio que deus embriagado de amor por sua criação.(R.S.)
Grande beijo.
Cleo

O Sibarita disse...

Fia, embora, não sendo poeta, você tem razão, acho que o poeta não mente nos seus escritos, é por isso também que não acredito em poesias encomendadas, o poeta escreve o que sente, o que deseja, o que espera, o que está dentro de sí e nunca jamais o que os outros sentem, né não? Humm... kkkk

Muito 10 seu texto!

Bjs
O Sibarita

Daniel Savio disse...

Menina, ao pé da letra não importa a ninguém...

Mas com certeza, deviamos ser preocupados ao que sentimos...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.