segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Coqueiros sentimentais


Orla repleta de coqueiros
Poesias enfileiradas
Dentro de mim um coqueiral

Mar banha cada coqueiro
Lambe e molha suas raizes
Água forte de ondas delirantes

Tomba coqueiros e emoções

Sinuosamente coqueiros dançam ao vento
Acrobacias para suportar a invasão do mar

Tamandaré-PE

29 comentários:

Dani Pedroza disse...

Gosto de coqueiros. São muito significativos, eu acho. O tronco longo, flexível, que vai e vem no embalo do vento pra não se partir. As raízes grossas, plantando seus "pés" no chão. As folhas longas, leves, como os cabelos de mulher na beira do mar. Estava aqui pensando, o amor deve ser meio coqueiro, não? Flexibilidade, firmeza e delicadeza.

Bjs !!!

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

U A U !
Voce é mestra em, a partir de fotos, fazer o corpo do poema andar em seus dedos!
Eu estou maravilhada!

Beijão, Paula!

Lídia Borges disse...

Muito bonito!

L.B.

Edson Marques disse...

Te vi ali no Ari.
Vim aqui.

Fiquei com saudade!

Abraços, flores, estrelas..

Opuntia disse...

O vento nas folhas do coqueiro resulta em poesia.

Bjos

Mai disse...

O mar avança em direção ao continente. Arrasta tudo e draga, toma de volta, se expande e inunda.
O mar é macho e os coqueiros, elegantemente tombam, deixando à mostra as suas raízes.
Você tem pérolas em imagens e palavras.

beijos!

Daniel Savio disse...

Menina, mas mesmo um coqueiro é capaz de suportar as ondas que o banha...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

HSLO disse...

No fundo eles transmite uma mensagem mesmo..viu.


abraços


Hugo

Maria disse...

Ainda pego em mim, aterro em Guararapes e vou a Tamandaré...
oh, que saudade!!!!!!

Beijo, Paula.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Viu poesia onde se deve ver, onde ela está. No mar, num coqueiro e fez um belo poema. Fotos lindas, como sempre ótimo gosto.Beijos

Everson Russo disse...

Adorei o poesias enfileiradas...lindo,,,um jeito poetico de ver a paisagem....beijos e um dia lindo pra ti.

Blue disse...

Coqueiros e o litoral do nosso Nordeste brasileiro, emoldurado com palavras, formando poesias que a bela Andarilha compõe!

Beijos

A.S. disse...

Paula...
O agitar sensual dos coqueiros, seguem o doce bailado do poema...


Beijos
AL

Memória de Elefante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Karl d'Jo Menestrel disse...

Um dia me tiro de mim e voo,
voo nas palavras da poeta,
voo nas imagens oferecidas.

Por hora vou imaginando os lugares, as gentes e os cheiros das marés.

Para si,
Aquele abraço bem fraterno.

Angela disse...

Olá, passando para agradecer sua visita no blog Aceita um café?
Desculpe a demora meus planos não sairam como previ.
Seja bem vinda.
Abraços.

Geraldo de Barros disse...

Parabéns Paula, adorei o poema e as fotos, é isso aí,

um abraço,
Geraldo.

Everson Russo disse...

Um beijo querida amiga...um lindo dia pra ti.

Vanna disse...

Bom dia querida. Lindas as fotos e muito bom a relação c/ as palavras.
Bjs, bom fim d semana.

Fabiano Mayrink disse...

Gostei do trecho

"Mar banha cada coqueiro
Lambe e molha suas raizes
Água forte de ondas delirantes"

Achei linda a primeira imagem ;)

obrigado pela dica do bolo de acerola adorei vou fazer!!

Zek disse...

Esse mar... sempre tão impetuoso, muleque maldoso ... pare que as vezes o ouço sorrir, tempos depois la vem ele a invadir, nossa terra, nossas pedras, sempre sem avisar, só mesmo um leve murmurar, mas ái de quem não o escutar.

Adorei as fotos...

Vivian disse...

...vento que balança as
palhas do coqueiro,
vento que agita as ondas
do mar.
vento que assanha os cabelos
da mulata,
me trás notícias de lá...

me lembrei desta melodia...

bj, querida!

Juliana Sphynx disse...

Belo

mundo azul disse...

_________________________________


Pisei a sua praia e senti o vento que balança os coqueiros... Um poema escrito com emoção é lindo!


Beijos de luz e o meu carinho...


_________________________________

Dani disse...

hehe imgs bonitas... textin bacana!
me amarrei^^

beijos

Luis Eustáquio Soares disse...

salve, Paula, que o vento é evento de vulnerabilidade diante do aberto tempo, tal que abraçamos abismos de liberdades.
beijos
luisdelamancha

Franzé Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Le Vautour disse...

Adorei os versos metafóricos, os versos-vida, os versos-vivências...
Abraço de duas asas!

O Sibarita disse...

Fia, você é toda poesia e fotografias, você tem o dom de trnasformar as mínimas coisas em texto porretas, obrigado por isso!

bjs
O Sibarita