quinta-feira, 15 de abril de 2010


“Quando as pessoas falam, ouça com atenção. A maioria das pessoas nunca ouve”
Leio essa frase logo cedo, desta quinta-feira chuvosa. Trago para refletirmos. Talvez eu também não esteja ouvindo atentamente.


Ontem conversava com minha filha sobre o quanto tem me espantado a dificuldade que tenho sentido em conversar ultimamente. As pessoas atropelam a nossa fala, antes mesmo de terminarmos o que íamos dizer. Ela concordou comigo, e até citou algumas passagens recentes. Combinamos, caso uma atropele a outra, na fala, que íriamos dizer uma a outra.


Tentei contar a um grupo de amigas que assisti um filme brasileiro (O Contador de Histórias) muito interessante, que gostei muito. Enquanto tentava contar o filme, uma diz de lá, não gosto de filmes brasileiros, assumo o meu preconceito. Cortou o meu entusiasmo, a minha fala, o meu raciocínio. Será que vinha ao caso naquele momento a qualidade de filmes brasileiro? A conversa pula do filme para outros temas.

Horas depois, tentei falar de um outro filme, Amigos para Sempre. Uma pergunta, você viu em video ou no cinema? Na hora fiquei sem entender a pergunta, o que importava naquele momento. Respondi que assisti em casa. E ouvi – não gosto de assistir filmes em casa. E novamente o rumo da conversa mudou. Não falei do filme.
Falar de viagem, fotografia, lugares bonitos, blog, então nem pensar. É me sentir uma extraterrestre, num mundo de desabamentos, chuvas, doenças, estupros, pedofilia, políticos corruptos, padres com condutas duvidosas e por aí vai.

Ontem estava almoçando e me perguntaram algo, quando fui responder, veio outro assunto, e não respondi mais. Mais tarde toca o telefone era a pessoa me fazendo a mesma pergunta, e já foi dizendo, eu perguntei mas entrou outro assunto.

E o pior que também tenho percebido, que a pessoa ficar calada, olhando para nós, não significa que está nos ouvindo.

As mentes parecem que estão muito inquietas. Pensamentos atordoados, de mentes que não param de pensar, de confabular, saltam atropelando a fala do outro.
Muitos falam, poucos escutam.

25 comentários:

Ana Cristina Quevedo disse...

Não sei, Paula.
Acho que também há uma falta de empatia generalizada.
Colocar-se no lugar do outro é fundamental para que se entenda suas necessidades. No seu caso, uma bem básica: ser ouvida.

Não estou julgando suas amigas , me perdoe se passo essa impressão.
Mas falo de uma situação que também vivo.

Beijo grande

Tatiana disse...

Tenho percebido a mesma coisa Paula... Não sei o que está acontecendo com os seres humanos. Parecem estar mais voltados ao seu interior e com muita dificuldade em partilhar de outros universos.

Deixo um beijo com imenso carinho!

Opuntia disse...

Bom, pelo menos fiquei sabendo que não sou a única que se sente uma extraterrestre neste mundo louco, de pessoas egoístas. A maioria só quer falar e falar, sobretudo de si, dos seus gostos e anseios, mas ouvir ninguém quer. Por isso, prefiro me calar, e, como consequência, sou vista como impopular, apesar de ser boa ouvinte... Vai entender esse povo!!!

Inês disse...

É tudo muito rápido, abarrotado de informações que se descartam rapidamente e se renovam sempre.
Mundo louco.

Garota Misteriosa disse...

Isso é verdade, às vezes queremos debater um assunto ou apenas passar uma mensagem e dependendo da reação do outro acabamos por não fazer.

Mas penso cá com meus botões...

Acho que quando isso acontece, já é um comportamento de negação da própria pessoa em não prestar a atenção e em nos cortar, digamos que é o alerta interior dela.

Mas existe uma coisa relativa, nem sempre aquela pessoa que fala apenas de si mesma é narcisista, talvez ela necessite de ser escutada, de ser ouvida e assim alguém possa ajudá-la em seus conflitos e pensamentos...

myra disse...

estou com voce, em tudo que diz, sim, tambem mtas vezes me sinto extraterrestre! mas como vejo poucas pessoas, por dia:) qdo vem alguem, eu escuto e falo pouco. Acho que a midia nos enche de informaçoes, repetitivas, falam ( tv) rapido demais, ninguem entende nada) e além do mais tbem ha muita pouca verdade...
beijos querida amiga,

Mai disse...

Interessante, Paula. Acabei de ler em um blog a expressão -
"é preciso OUVIR com o coração"

Sabe que eu fiquei um tempinho refletindo que até na escuta o amor é fundamental.
Sensibilizarmo-nos para olhar, ouvir, falar, tocar UM outro, talvez nos salve.

grande abraço

RoCosta disse...

Paula ontem me submeti a uma avaliação para uma vaga de emprego e praticamente entrei muda e sai calada porque a entrevistadora não para de falar. Perguntava e ela mesma respondia e sem contar que quando eu dizia alguma coisa ela busca um acontecimento na família... um horror!
Eu sempre fui mais ouvinte do que falante e tinha, na escola, o apelido de corujinha ;D
Beijos, muitos!

ps.Eu enviei a voce a senha para meus posts privados?

Celina disse...

oi querida, acho as pessõas muito apressadas principalmente nos dias de hoje, nos deixa complexadas pensando tanta besteira, paula deixo a seu cargo marcar o dia para conhecermos para mim será mais facil vc é mais ocupada,principalmente viaja muito. um abraço carinhoso celina,ps. garanto que vou te escutar rs rs

Maria disse...

Paula, 'isto' anda tudo estranho. Pessoas e Natureza, Natureza e pessoas.
Espero que venha uma chuva grande e um vento forte que lave e leve tudo para onde deve levar, a ver se ficamos mais em paz.
E não são problemas deste tempo, não. São as pessoas a precisar de outro tipo de vida, mais calma, mais alegre, sei lá...

Um beijo.

Memória de Elefante disse...

Paula!
Teu texto retrata um apecto marcante de nosso tempo a superficialidade e o hedonismo crasso que tantas vezes nos desperdiçamos.
Nesta trepidante cultura nossa, da agitaçaõ e do barulho, gostar de sossego é uma excentricidade.
Sob a pressaõ do ter de parecer, ter de participar, ter de adquirir, ter de qualquer coisa, assumimos uma infinidade de obrigações.Acuados pelo relógio disparamos sem rumo feito hamsters que se alimentam de sua própria agitação.
O que está fazendo falta é:
"PARAR, OLHAR, ESCUTAR".
A vida há de rolar por cima da gente, reduzindo a poeirinha inútil quem se esquecer de às vezes parar prá pensar...sem se desmontar;olhar em torno ou para dentro e para o outro à nossa frente e escutar a voz que nos fala e dialogar.
Hoje fala-se tanto em desencontro e solidão, incomunicabilidade, futilidade, talvez essas três palavras possam ser a chave para a harmonia nas relações em todos os sentidos.

Um beijo

Paulo Palavra disse...

o problema é q vivemos a era do EU. o q vc diz não importa, mas o q eu digo é sempr relevante. por isso as pessoas cortam umas às outras. nessas horas eu uso a sabedoria popular que diz: "Deus nos deu uma boca e dois ouvidos para falarmos menos e escutarmos mais"

ps:os dois filmes são ótimos!!

Ana Agarriberri disse...

Concordo com os comentários que já foram feitos. E parece que tudo tem que "ser para ontem". Acostuma-se a uma rotina imediata, onde o tempo custa caro. E acredito que a maioria das pessoas estão levando isso para sua vida pessoal,particular. Todos vivem numa correria absurda, não dialogam mais com calma, não sentam para rir, pensar na vida e ouvir os outros.


Beeejo pra vc! Tenha um bom final de semana. :)

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Paula...boa noite, não é que esse tema era muto discutido no grupo de estudos Gurdieff também, sei que é uma falta grande, mas como você mesmo disse, talvez eu esteja fazendo isso também e não me dou conta...mentira...eu confesso e me dou conta sim, sou super viajante, distraido, mente aflita e devo fazer muito isso com as pessoas, mas não por mal e quando me dou conta trato de tentar corrigir o erro...não é que interrompo...mas sim que de repente não escuto como deveria escutar, depende muito da hora e de onde eu estou com a cabeça..rs...na lua...rs


Agora vamos a parte colada...

Oi...te convido a participar do Festival de Haikais no meu outro blog, o Verseiro – folhas, frutos e raízes (http://frutosdoverseiro.blogspot.com )
Não precisa seguir regras e métricas, fique a vontade e exercite sua criatividade caso nunca tenho feito um...participe...e olha, pode ser um poemeto também...rs...
Um abraço na alma, um beijo, uma folha, um fruto e uma raiz...valeuu...te aguardo por lá...

Luciana disse...

É vc esta muito certa no que escreveu... acho que as pessoas realmente só sabem falar e não escutar...acho que é costume mesmo...

ah gostei muito do que escreveu tb ai do ladinho dos post...DA COISAS QUE NÃO ENTENDO... VC DISSE TUDO !!!

bjinhossss

C@urosa disse...

Olá minha querida amiga Paula Barros, eu acho que estão perdendo a capacidade de ouvir. Todos querem se expressar...precisamos de mais calma e paciência nas relações.

paz e harmonia,

forte abraço

C@urosa

tossan disse...

Sabe o que é isso Paula? Estamos vivendo em um mundo cheio de informações inúteis como novelas BBB's besteirol da internet e as pessoas não respeitam nem mesmo o nosso direito de falar a frase inteira e nem ouvi-las. Beijo

Maria Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Dias disse...

Concordo plenamente com vc...Tenho uma amiga q praticamente nao me deixa falar. Na maioria das vezes sou eu quem ligo para lhe contar algo e ela simplesmente nao me deixa falar vai logo desfiando o seu rosario e contanto tudo q tem pra contar sem me deixar dizer pq liguei. Já me vi tb interrompendo raciocínios mas tenho tentado me educar para escutar mais. Sei da importancia de escutar e escutar para mim é um dom. Sim as pessoas estao irriquietas e presas dentro delas mesmas e quando chegam num porto qualquer querem logo se desafogar...Está faltando a troca.

Beijinhos

Eurico disse...

Ansiedade... creio q é isso, Paulinha. Espero não ter feito isso contigo. Vou cuidar pra ouvir mais. Esse teu post é muito oportuno.
Deixo meu abraço e minha gratidão por ter vc entre minhas amigas aqui e na vida real.

Malucas de BR (*.*) disse...

Assistimos esse filme, até o momento mto bom o filme, adorei o enredo, como a história foi contata, já conhecíamos a história dele, mas o filme retratou belissimamente!

VISITEM O BLOG DAS MALUCASdeBR - Duas Garotas Com Mta Coisa Na Cabeça e Que Tiveram a Feliz ou Infeliz Idéia de Montar Um Programa Virtual e Debatê-las... Ficou Curioso? Então venha...

Everson Russo disse...

Acho que as pessoas andam estressadas por natureza..rs..rs..querem se fazer ouvir de qualquer forma, extrapolam,,,não deixam ninguem falar,,,,acredito eu que o "preste atenção" e que ninguem presta,,,talvez já seja por saber que a tal pessoa em questao, não tenha nada util a se falar...rs..rs..rs...ou então aquelas pessoas que falam assim,,,,"posso te falar a verdade agora?", uai,,,entao das outras vezes ela mentiu? todas elas? rs..rs..rs...beijos de otimo sabado....

Daniel Savio disse...

Geralmente, respeito as pessoas, desde que eles me respeitem...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

Robson Schneider disse...

Não sei, mas as vezes as pessoas também falam sem dizer nada.Existe no ar uma carência de ouvintes, uma prolixidade exaustiva e bons dialogos perdidos...
Acho que o cansaço mental generalizado causa isso também, claro, existem aqueles que de fato não sabem ouvir, estando cansados ou não...
Beijo Paula

Le Vautour disse...

É bem isso...