domingo, 22 de agosto de 2010

O que passa despercebido

Olinda, Praça do Carmo, domingo 15 de setembro de 2010. Em passagem pela Praça, que acho muito bonita com as palmeiras imperiais e a Igreja no alto, o que mais me chamou a atenção foi o azul do céu realçando a paisagem e os coloridos dos guarda-chuvas.

A Igreja está precisando urgente de um reforma, e também ser aberta ao público para visitação, principalmente aos domingos.

A mim, este contraste de cores foi suficiente para me chamar a atenção, para achar que seria legal bater uma foto.

Sábado, 21 de agosto de 2010. “Olinda intimada a proteger palmeiras. “Na Praça do Carmo, árvores são usadas para pendurar produtos”

O Ministério Público de Pernambuco deu um prazo para à Prefeitura de Olinda vistoriar as palmeiras e retirar os pregos afixados, que estão servindo de sustentação aos varais de exposição de produtos.

Por coincidência, neste mesmo sábado estive nos Jardins dos Campos das Princesas, onde funciona a Sede do Governo de Pernambuco. Nestes jardins acontecem festividades. E lá estão os pregos nas palmeiras. Será que o Ministério Público também vai intervir?

Eu não percebi os pregos. Eu não pensei no mal que estão fazendo as palmeiras. Este fato me deixou chateada comigo, me fez refletir do muito que não percebo. Entre o belo e o feio, entre a tristeza e a alegria, quantas coisas não são percebidas, nem sentidas?

22 comentários:

Ana Lu disse...

Costumo reparar a cor do céu nas fotos, mas os pregos nas árvores com certeza me passariam despercebidos. E realmente tem tanta coisa que não reparamos...
Tão transformando árvore em cabide debaixo dos nossos olhos..
=/
Beijos Paulaa

Ilaine disse...

Este passeio por Olinda é magnífico. Vou com você e admiro o céu azul, a arquitetura e as palmeiras. O resto preciso imaginar: os cheiros, os sabores, o sotaque... Mas não é difícil, pois lembro do quanto me impressionei ao andar por estes caminhos.Lindas imagens, Paula!

Os pregos nas palmeiras... Ah, que pena! Precisam intervir imediatamente. Beijo

myra disse...

os que tem qu cuidar de nossas coisas, sao os mais ignorantes!!!!!
linda Olinda, lindas fotos, e continuo com saudades,
um grandissimo beijo e tem que reclamar a voz alta, voces todos que estao por ali!!!!

Roberto M. Alves disse...

Essa questão das reformas nos monumentos históricos do Brasil é um problema muito sério que precisa urgentemente de ações. Adorei os guarda-chuvas contrastando com o céu azul. Agora,prego em árvore é uma maldade.

Um abraço e um ótimo domingo.

Everson Russo disse...

Bom,,,falar das suas fotos é chover no molhado...rs..rs...eu sempre digo,,,voce tem um click ideal,,,eu até já comprei outra camera aqui pra ver se melhoro,,,mas nada,,,,a vida é feita disso,,,,detalhes, muitas vezes a correria da vida nos deixa passar sem ver coisas pequenas importantes,,,ou partimonios se deteriorando,,,,,é triste,,,me avise quando o alvo for a praia da Boa Viagem,,,um dia eu quero conhecer,,,dizem que é lindo...

Nota do Livro...rs..rs..rs...vi seus ultimos comentarios quanto a minha licença poetica,,,rs,,rs,,,meu direito de resposta, nos dois ultimos posts eu fui no fundo do bau do Livro, foram duas tentativas em vão de fazer musica, aquelas bem tristes,,,de um amor doído, menos no caso do "Se Voce Gosta Mesmo de Mim", ela é mais uma coisa tipo,,,poxa, eu sou assim, fazer o que? já o "Mais Ninguem", é aquela fase triste, pra baixo, não aconselho a ninguem gostar daquilo, ou fazer aquilo...rs.r.s...eu nao vivo mais ela, as duas são datadas de 1996, antigas,,,ultrapassadas, resolvi ressucita las..rs..rs...sabe aquela coisa do, eu gosto, mas não quero viver isso de novo? rs...pois é,,,to noutra....outra estação.....beijos querida e um domingo lindo pra ti e uma belissima semana........

Óleo disse...

A beleza do lugar é de deslumbrar. Se nós não nos preocupamos com outro da nossa espécime, o que dizermos dos outros que não são. Carinhosamente Óleo.

Maria disse...

De facto também nunca tinha pensado no mal que os pregos podem fazedr nas árvores. Por aqui acontece o mesmo...
As tuas fotografias voltaram a trazer-me memórias. De Olinda, do Frevo, desse país azul e verde que é tão bonito.

Um beijo, Paula.

Allyne Alves disse...

É verdade, Paula. A gente que acha que tem a vida tao corrida, quase sempre passa despercebida por coisas que podem ser importantíssimas, e como voce disse o mais interessante de tudo é que essas coisas podem ser tanto boas, quanto ruins...Se boas, poderemos aproveitar e ser mais felizes, e se ruins, poderemos ter a oportunidade de melhorar...

Bjss

tossan disse...

Dá vontade de chorar quando vejo uma coisa assim! Não sei se é vandalismo ou burrice (?). Postagem providencial. Beijo

Memória de Elefante disse...

Paula!

No belo e no bom,é fácil sonhar:a vida nos dá alguns privilégios, e devemos fazer dela, na medida do possível, uma celebração.
Possivelmente procurar sentido seja também uma futilidade:melhor entregar-se ao fluxo do rio que corre sem que a gente conheça seu início e seu fim.Melhor desistir de montar o quebra-cabeça e apenas jogar com os pedacinhos da realidade.Existir como contemplar ou exercer alguma arte fica além dos significados:é o sagrado , onde tudo se reduz ao essencial, nem som,nem traço, nem cor.
Ali onde tudo começa e termina e a gente não sabe o por quê.

Gostei das fotos!

Deixo-te meu beijo

Camila Mancio. disse...

amei, sucesso.

Daniel Savio disse...

Podemos fazer grande mal com pequenos gesto, mas também grande atos de bondade...

Fique com Deus, menina Paula Barros.
Um abraço.

Poeta Mauro Rocha disse...

às vezes não percebemos que fazemos mal as árvores, porque elas não gritam ou reclamam,mas é dificil reparar em pregos realmente reparamos nas belezas ou feiúras.De qualquer maneira você nos ensinou uma grande lição e com certeza estaremos mais atentos as coisas.

Um beijo e abraço.

EDER RIBEIRO disse...

As imagens são lindas de uma cidade com várias cores. Às vezes nos falta percepção para nos ligar a pequenos detalhes. Bjos.

Armindo C. Alves disse...

PAULA
Quanto à beleza do Brasil, nem vale a pena comentar. As suas fotos têm transmitido com fidelidade essa beleza. Felizmente também alertando para as aberrações e coisas erradas. O seu gosto pela natureza tem-se revelado. Que a fluência da sua escrita possa ser um "alerta" contra os inúmeros agressores e "ignorantes".

Boa semana.

Beijos.

Mário Lopes disse...

Os guarda-chuvas são as paletas com as cores que utilizaste para fazer esta linda pintura. A luz única de Olinda já a tinhas e a igreja de Santo António do Carmo já lá está há mais de 400 anos, casada de branco e amarelo com aquele azul de ave que penetra as pupilas e obriga o olhar, por vezes, a mergulhar no verde descanso do mar próximo. A tua fina sensibilidade tem o dom de impregnar de beleza as tuas palavras, tanto como o que os teus olhos vêem e nos deixam.

O homem é o único animal que tem prazer no sofrimento dos outros animais. Que importa, portanto, fazer sangrar uma simples árvore, como se sangra touros indefesos numa arena?

Beijo terno nesse coração sensível.

Everson Russo disse...

Uma segunda feira cheia de carinho e paz pra ti querida,,,,beijos e otima semana tamben.

Uelton Gomes disse...

Olá Paula.

Sabe depois que comecei fotografar percebi que presto mais atenção nas coisas, olho as cores do céu, reparo mais nos gestos das pessoas e por aí vai.

Na correria do dia a dia acabamos não percebemos várias coisas, as vezes não reparamos nem no modo de tratar as pessoas, quantas vezes não magoei alguém sem perceber.

Abraços, Paula, Belas Fotos!

Vivian disse...

...vou assinar em baixo das
palavras do Tossan, e continuar
orando para que um dia o homem
acorde para as insanidades e
asneiras que praticam a esmo.

este teu 'grito' deve repercutir
nas mais altas esferas e daí
quem sabe os predadores aprendam.

lindíssimas suas fotos.

bj, menina!

Sonia Pallone disse...

No fundo o que importa é a poesia que se lê através da foto. Está ali, implícita. Bjs,

walter disse...

Tão bom poder recordar-me por aqui... através de ti, onde um dia pousei o meu olhar!

Paula, respondendo à tua pergunta: de Leiria a Sesimbra calculo entre 160 a 170 klms, de Évora a Sesimbra um pouco menos, talvez uns 110 a 120 klms...

rsrsrs... aqui é tudo ali ao lado!

beijo
walter

Maria Dias disse...

Esta última foto me remeteu ao passado aonde eu fazia curativos na seiva de uma cajazeira... Tadinha da árvore imagina ser tratada com mercurio?rs...Eu tinha uns dez anos de idade e morria de pena daquela arvore tao grande mas q parecia estar ferida.Imagina só o q eu nao acharia desta imagem?Minha menina ficaria muito triste...