sábado, 12 de fevereiro de 2011





Existem muitas formas de amar. Deixa eu te amar como se nós dois tivéssemos oito anos? Amar de brincar de correr. Amar de dividir o jogo colorido de peças de montar. Amar de se esconder, de cabra cega, de queimado, de jogo de bola, de quebra-cabeça. Você monta tão bem a paisagem da vida com as peças do quebra-cabeça dos dias.

Sabe, eu queria poder te dar as mãos e correr lá naquelas montanhas, que são mais conhecidas tuas do que minha, porque elas te viram criança. E eu queria me sentir criança de novo, correndo livre, cabelos ao vento, e ouvir tuas histórias de criança. Porque você me faz entrar em contato com minha criança.

Deixa eu sonhar que podemos deitar na relva, lado a lado, olhando as nuvens brincarem no céu, como se fossemos duas crianças, sem nenhuma maldade, ou medo....e de repente ouvir a tua voz dizer, vamos, corre para pegar aquela bolinha de sabão....

Se a vida é feita de ilusão, me deixa sonhar, e pensar que eu e você já fomos crianças. Me deixa sonhar neste mundo de adultos, nesta ilusão sem maldade, sem se sentir invadido, não estoura a bolinha de sabão....Sopra ela, a vida, deixa os dias correrem leve feito a bolinha de sabão....

12 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

Querida Paula, sou difícil de rasgar sêda, e qdo faço isso é pq vejo valor na escrita de quem leio. Posso garantir que até hoje não encontrei alguém que escreva tão bem prosa poética com ti. E estou sempre seguindo a trilha desta andarilha só para me encantar com as suas prosas.
"e de repente ouvir a tua voz dizer, vamos, corre para pegar aquela bolinha de sabão...." Essa parte me faz lembrar o meu filho qdo solta bolinhas de sabão e pede para eu pegá-las com a mão.

Agora deixa eu meter a minha colher em um comentário que vc fez no blog do Dauri sobre o Saramago. Para mim é o melhor escritor da língua portuguesa, por isso, permita, vou lhe indicar Ensaio sobre a cegueira, A caverna e O homem duplicado. Leia-os, garanto, vc se encantará. Um beijo, um ótimo finde e uma semana de Luz.

Paula Barros disse...

Eder, obrigada pelo carinhoso elogio, e vindo de você que escreve tão bem, ei de parar para "ouvir" e sentir.
Embora não considero que escreva, nem bem nem mal, porque raramente construo algo na escrita, ela vai surgindo, e surgindo...vai saindo de mim. E conforme a fonte que me inspire cada escrito sai em um formato, ou com palavras próprias. E muitas vezes com muitas lágrimas. Este é um deles.

Agora bom mesmo foi esta interação, chamada por você de meter a colher, é disto que gosto, de troca, porque nestas trocas vamos caminhando pela vida com mais belezas, agregando valor ao dia a dia, as relações.

E saber do seu filho, que também li sobre eles lá no blog da Ilaine, e saber que ele gosta de brincar de bolinhas de sabão, e que lhe chama para brincar. Ótimo.

obrigada, vou anotar os livros.

beijo

EDER RIBEIRO disse...

Então, com certeza, é por isso que seus textos tocam tão fundo em mim, pq, qdo vc escreve, vem dalma, sai naturalmente, não tem fórmula, vc não sua para fazê-los, não transpira, inspira, e isso é raro, só o tem, o dom, grandes escritores. Para o teu conhecimento, ele, o meu filho, chama para brincar de bola, avião, e, interessante, Paula, o meu "mundo" na bahia era tão largo que tudo isso para mim era tão natural que eu praticava todos os dias, já ele, devido morar numa capital é mais difícil, mas eu não deixo de lhe dar esta oportunidade de ser criança. Qdo fomos na Bahia de férias, ele ficava horas tentando matar as formigas, lhe confesso, chorei por me ver nele. Bjos.

epee disse...

Às formas, a essência, o jeito de os trejeitos de cada um. O sorriso impresso dos gestos e no sentimento. A cumplicidade. A intimidade. O relacionamento. E as muitas opções.

E o desejo de se voltar à infância para se viver um amor com todos os privilégios que o 'ser criança' permite.

Um encontro num parque numa bela manhã de domingo, a bola e as bolinhas de sabão. E a realidade do amor conquistado.

Um amor assim. Um poema assim. E a poesia no ar... nas bolinhas de sabão... a colorir a imaginação.




¬

myra disse...

teu texto e os comentarios de Epee, sao realmente lindos!
acho , e que bom, que todos mesmo aos 84 anos , temos ainda algo das crianças que fomos...
beijos minha querida e sensivel Paula

Everson Russo disse...

Amar,,,sonhar,,,desejar,,,olhar,,,sorrir,,,beijar,,,não existem formulas,,,idade,,,acontece simplesmente,,,quando a gente menos vé já ta ali,,,envolvido com o sentimento,,,com o estado de anestesia da alma...super beijo de boa semana pra ti....

p.s.a foto é minha sim,,,uma das minhas armas do arsenal pequeno que tenho aqui...rs..rs...

mfc disse...

Muito lindo...
Sonhemos então!

Armindo C. Alves disse...

PAULA
Reafirmo e insisto no que venho dizendo a respeito da sua escrita.
A sua criatividade é ímpar e imparável. Narrativa sólida, natural, profunda e arrebatadora. Um motivo para reflectir e sonhar.

Eu,...eu fico com a minha neta e ambos vamos soprar bolinhas de sabão.

Desejo uma semana muito feliz.

Grande abraço.

Poeta Mauro Rocha disse...

"Amor meu grande amor/ Não chegue na hora marcada/ Assim como as canções/Como as paixões e as palavras"

Seu texto me lembrou essa música.

Tenha uma ótima semana.

Beijos.

Luma Rosa disse...

Paula, esse seu sonho bom, só de imaginar nos trazem coisas boas! A vida adulta às vezes no sufoca e ser criança, ter o olhar limpo para o futuro e cheio de esperanças, resgata os sentimentos que tínhamos à época e nos dá frescor e vontade de simplesmente deitar no chão e ver as nuvens passando!! Boa semana! Beijus,

Ilaine- disse...

Paula! Sim, um texto lindíssimo que emociona e que traz em sua essência a candura do querer bem, o sonho de voltar e refazer o mundo da maneira mais singela e linda, assim como quando éramos crianças. Vamos sonhar, Paula. O sonho é um condimento fundamental na busca da felicidade. Ah, amiga, se soubesses... sou uma sonhadora incurável. Beijo e um lindo dia!

C. disse...

Amor cultivado na simplicidade, na leveza de assoprar bolinhas de sabão e ver um sorriso no rosto do outro.