sábado, 5 de fevereiro de 2011

Nuvens


No Brasil
 ou em Portugal.
Ao amanhecer

no final da tarde

ou a noite.

Esparsas

ou carregadas.
Vistas de cima
ou de baixo.



Nuvens...nuvens...nuvens....
Um cachorrinho branco e felpudo
Um urso
Um porco
Um dragão
Um carneirinho
Uma mulher ou um homem sensual

Metafóricamente
Você, nuvem,
Eu, nuvem
Ele, nuvem

Nuvem que vem e que passa
Que mostra o céu
Um olhar para cima

Nuvem que lhe tira o chão
Que lhe engole
Que lhe desaba
Que lhe atordoa
Que lhe inspira

Nuvens e o que está dentro de você
A ingenuidade, a malícia
O tempo
A experiência
A inocência

Nuvens que estão no céu
Gotículas de água condensadas
Precipitadas
Apressadas
Lentas

Nuvens
Uma visão projetada
Em cores e formas
O que está dentro e o que está fora
Metafóricamente
Eu, ou você

10 comentários:

Vivian disse...

...e não somos por acaso,
nuvens passageiras deste
cosmo escola?

algumas vezes esparsas,
misturadas entre azul
e branco enfeitando um
céu de outono,
outras vezes gris, cinzentas
ameaçando chuva miúda ou
tempestades,
dependendo do estado de
ânimo?

de qqr forma, fotografar nuvens
é marca de quem tem sensibilidade
aflorada, assim como tbm perceber
no outro em que céu ele costuma
habitar.

bj, alma azul!

Paulo Fernandes disse...

As coisas não ditas são como nuvens nas paredes do silêncio.

- Alguns dos piores textos que já li foram escritos na primeira pessoa- e alguns dos melhores também.
A autoexposição gera tanto obra-prima quanto o velho papo furado, aquele tipo que extrai do leitor nenhuma emoção.
A narrativa confessional que transcende a banalidade está lançada no cyberespaço como autoajuda puríssima!

epee disse...

"D'Alma" favoreceu a inspiração, mas esta, já faz parte de você, Paula.

As nuvens e os sonhos, para quem pode sonhá-los, nos favorecem uma coleção de lindas imagens e uma poesia serena.

E a inspiração, aquela, é só um detalhe, um abençoado e necessário detalhe, aos poetas e poetisas, que como você e tantos outros, nos convidam a levitar. Sobre nuvens. Resultando numa sensação deliciosa e incomparável de paz.




¬
Agradeço e abrindo uma saudável exceção e merecida, no caso, parabenizo-a pela 'inspiração'.

Nanda Assis disse...

aii q lindoo, nivem é tão bonitoo nee.

bjosss...

Anita "Menina Flor" disse...

Que leveza de poema, quanta sensibilidade, menina. Bjs

tomdenuance disse...

Lindo post. Todos temos um pouco de nuvens não é? Muitas vezes passageiras. Ah! Muito linda as fotos também, parabéns :D

Olhos de mel disse...

Oie Paulinha; engraçado que lendo sua bela poesia, me vi pequena, tentando descobrir em cada nuvem um bichinho que achasse parecido. Elas me impressionavam pelos desenhos e pelos tamanhos...
Essa é uma visão que nós, eternas sonhadoras, inevitavelmente fazemos.
Boa semana! Beijos

mfc disse...

Gosto de as olhar e de as seguir na sua transformação constante!
Parabéns pelas fotos.

BRANCAMAR disse...

Paula,

As fotos são maravilhosas, os comtrastes das diversas nuvens e o que elas representam metafóricamente na tua bonita mensagem.
Assim é com a vida e com todos, passamos por nuvens de diversas nuances.

Um beijinho para ti e desejo-te uma boa semana
Branca

Ana Lu disse...

Ai, viajei no seu post. Eu adoro ficar deitada num dia com céu bem azul e ficar observando as nuvens, as mudanças delas, e a facilidade que um cachorrinho felpudo tem em se transformar de repente em um dragão soltando fogo, e logo depois, numa camponesa com chapéu delicado.. Talvez elas simplesmente estejam ali pra te passar a lição de que mudanças não são tão difíceis. Sei lá, me sinto leve olhando pra elas..
=]
Beijos!