quinta-feira, 28 de abril de 2011



Lendo Élcio, Mari Amorim, Tatiana (temas interligados)...lendo a mim mesma, percebo como se nós que estamos neste plano virtual e também no real somos como uma alameda, estamos ligados pelas raízes do ser, e nos entrelaçamos nas copas, nos ramos das nossas histórias de vida, nos galhos das nossas sensibilidades. 
Muitos vão passar por esta alameda sem sentirem a beleza, sem usufruirem das brisas, sem aproveitarem os vendavais para fortificarem mais e mais as suas raízes, sem crescerem e sem darem frutos. Talvez não seja o momento. Outros e eu mesma, estamos mudando o rumo da nossas próprias histórias. Estamos vivendo e criando histórias. Estamos trazendo as emoções do virtual, o inexplicável, este sentir imenso, para a vida real. E trazendo a vida real para o virtual. Nestas trocas vamos caminhando na vida, nos dias, nas relações. Nossos galhos crescem e se entrelaçam com outros galhos. Vidas que se entrelaçam.

Por causa de uma experiência inusitada de abrir um jornal e ler uma matéria, e mais e mais matérias e de conversar com o jornalista tive a minha vida totalmente modificada. Criei o blog. Estou aqui entrelaçada com vocês, com outros. Nesta grande alameda de sentimentos, histórias de vida, de emoções. Muitos erros e muitos acertos, muitas vivências.

Quantas vezes mostrei as matérias para alguém, mostrei algo que vocês escrevem para alguém, mas nada acontecia com aquelas pessoas. Comigo foi uma reviravolta na minha vida. No entanto tenho consciência que aproveitei cada falta de entendimento, cada lágrima derramada, cada noite sem dormir, cada emoção forte, cada sentimento de carinho e amor imenso, para trilhar novos caminhos, ou os velhos caminhos com um novo olhar. Errando e falhando, volto a repetir, mas aprendendo a caminhar pelas alamedas da vida.



foto: Belo Horizonte


13 comentários:

Nanda Assis disse...

que lindo amiga, e isso é o bom mesmo, saber aproveitar cada segundo!

bjos...

Constantino, Guardador de Vacas disse...

Sabe Paula eu tenho um blog com mais de 7 anos. Depois cansei-me mas acho que por pouco tempo. Resolvi criar outro com um conteúdo um pouco diferente. Ninguém sabe (às vezes nem eu) onde começa a ficção e acaba a realidade ou vice versa. Sinto-me bem assim e desta forma, talvez interaja menos, mas pelo menos acabaram as noites sem dormir. Obrigado por ser minha leitora.

BRANCAMAR disse...

Que lindo Paula, é assim mesmo que eu te vejo, uma mulher madura, uma mulher capaz de saber fazer de cada momento uma aprendizagem, "trilhar novos caminhos, ou os velhos caminhos com um novo olhar."

E assim se aprende muito contigo.

Um beijo de muito carinho.
Branca

Blue disse...

Sim, vidas que se entrelaçam, igualzito as árvores desta rua de BH.
A vida é assim. Somos assim. Acertos, erros num vaivém constante, assim como balaçam as folhas destas árvores ao sabor do vento.
A diferença é que podemos muitas vezes direcionar o vento.

Beijo

Maria Dias disse...

Essa semana li sobre o bem q fazem os blogs, tema q ja virou pesquisa cientifica...Os cientstas chegam a conclusão q ter um blog alivia a alma e ainda vem com um bônus as amizades q conquistamos...eu tentei fechar meu blog mas nao consegui,o Avesso me faz respirar e alivia a alma e depois dele não sou a mesma,me enriqueci bem mais.

Semana q vem devo postar sobre este tema tb.

Beijinhos

Maria

Vivian disse...

...costumo dizer que existem
duas Vivian em mim.
uma antes e outra depois
dos blogs.

e olha que eu comecei no antigo
IG, que chamavamos de BLIG,
onde criei um espaço chamado
Portal do Pensamento, e ainda
está lá abandonadinho, mas
ainda exalando a essência de
tantos visitantes de alma linda.


aqui na blogosfera, falamos
a linguagem mais linda que
há...falamos de alma para
alma na sintonia mais fina,
e que graças à Deus, muitos
já estão aprendendo a
entender e dela
beneficiar-se.

bj, minha linda!

Samaryna disse...

Paula, cabe a cada um dar a oportunidade do aprendizado, pois a vida é isso, colhemos muito do outro para nos significar e depois passar adiante, e tenho certeza que o aprendizado que você tem lendo, muitos também tem ao lê-la, e digo mais, você também se conhece escrevendo. Aqui, te lendo, repatilhando comentários, eu me inspirei para escrevee os meus textos, o proximo que será postado foi inspirado em um comentário seu, e virá mais. Deixo o meu afeto e um desejo de um final de semana feliz.

myra disse...

sabe minha querida Paula, além de um texto tao bom, quero te dizer, que bem, pelo menos eu, aprendi mais com as màs experiencias que com as boas...
te mando um grande abraço cheio de sensaçoes emotivas...

Mari Amorim disse...

Paula,
Gostei muito de sua leitura referentes aos posts relacionados acima,e de sua pertinente reflexão.Costumo repetir um pensamento,de que a vida é dinâmica,e mutante,uns escrevem novas histórias,outros se matam por histórias mal vividas,querendo no grito que as mesmas sejam perpetuadas,outros tantos extravasam suas emoções,positivamente dando sua contribuição em prol de outrem,o importante nesta alameda da vida, é a busca da felicidade.O virtual,é a forma de interação instantânea ,ficando a critério de cada um levá-lo ou não,para o real, especificamente,no meu caso,levo só o que me interessa para o real,adubando e permitindo adubarem minhas raízes,assim embelezando as alamedas da vida,compartilhando vivências...Obrigada,pela inteligente leitura,e a citação de meu nome, em seu espaço de interação!
Deixo-lhe um forte abraço,cheinhos de boas energias,afirmando que você,já é uma pessoa querida,por mim!
Mari

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Olha, o blog também é muito impprtante para mim.Tanta gente legal,tanta coisa boa trocada entre os blogueiros. Fico feliz de ser mais um galhinho nessa alameda. Beijos

mfc disse...

Para mim um blog é um grito de alma!
Sinto o teu igualmente desse modo.

Luma Rosa disse...

A interatividade dos blogues é o que também me fascina! Porque começamos e porque continuamos, cada um de nós terá o seu motivo, mas certamente, o peso maior de estar por aqui, são o carinho mútuo das amizades conquistadas. Parabéns pelo blogue, pelos motivos da existência e por se manter fiel ao que conquistou! Beijus,

Ilaine disse...

Querida Paula! E veja, ambas falamos em nossos blogs...

Ter um blog é um aprendizado. Eu relutei muito até abrir um, pois me sentia imensamente insegura e tinha muito medo que meus textos não fossem lidos ou que não agradassem. E havia também o receio de estar publicando sem limites. O blog é um companheiro que me liga a pessoas maravilhosas como você. Cruzamos caminhos e criamos laços. Compartilhamos alegrias e tristezas através de nossa palavras postadas nessa página. Meu primeiro blog se chamava "Baú de Espantos" em homenagem ao poetinha, mas deletei, pois sofria muito. O fato de visitar pessoas, embalá-las com meu carinho e nada receber em troca, era doloroso demais para mim. Não conseguia entender. Fiquei alguns meses sem blog, mas sempre acompanhava os amigos em silêncio. Um dia, assim, sem muito pensar, abri o ensaios. Ainda há tristezas, mas poucas. Hoje sou mais liberta, já não quero que meus textos sejam perfeitos. Quero me mostrar, quero escrever o que vai no coração. E não há necessidade que os escritos sempre sejam ótimos, o importante é criar. E para todos nós que escrevemos, penso que e assim.

Te encontrei... te segui,Paula. Quero criar raízes profundas, como as das árvores da alameda. Sou sua fã. Beijo