terça-feira, 10 de maio de 2011




Quero me controlar. Devo me controlar. Aguardar o tempo certo. O tempo que brota poesia. Mas dá um formigamento nas entranhas do meu ser, porque não gosto de esperar, não sei esperar.
Respiro. Olho. Olho e me falta o ar, me falta paciência. E nada. Esperar. Esperar. Esperar. Me diz uma voz que tenta me controlar. Essa voz sempre tem razão.
Sigo por outros caminhos, mas nunca é a mesma paisagem. É inquietante a espera desse tempo que não depende de mim, nem é para mim, mas me serve, porque tem gotas de poesia, rios de poesia, um mundo de poesia. Esperar. Sim, estou esperando...




10 comentários:

Vivian disse...

...enquando espera,
faz poesia.

que linda!!

bjbjbj

walter disse...

E EU TAMBÉM!

VÁ... INSPIRA, EXPIRA, INSPIRA, EXPIRA...!

UM INSPIRADO BEIJO, PARA TI!

WALTER

mfc disse...

Tão difícil essa espera!

Tatiana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tatiana disse...

Esperar tem horas que é um desalento para a nossa alma... Temos nossas urgências e o relógio do outro parece não contar os mesmos minutos e segundos que o nosso!

Mas a poesia resiste forte...Isso que é sempre belo!

Um beijo carinhoso

Maria Dias disse...

Ei menina!lembra deste velho ditado:Quem espera sempre alcança...Seja forte e firme e espere o tempo certo.Vc vai ver vai dar tudo certo!rs...

beijo

Maria

P.s.Ansiedade só atrapalha!

BRANCAMAR disse...

E a espera parece bela...se tem "gotas de poesia, rios de poesia, um mundo de poesia.", eu também quero, :)

Te desejo paciência, cheia de poesia...

Mil Beijinhos
Branca

d'Alma disse...

O velho, mas não gasto ditado, dita-nos a certeza de que “quem espera… desespera”. O desespero pode nem ser aquela pedra que com o vento se foi desgastando, reduzida a um pó que o mesmo vento levou e espalhou por aí; em qualquer lugar, em todos os lugares perdidos e gritando por quem encontre as partículas… algumas já de Luz… outras de ténues levezas que levitam na órbita da Alma!... Como se uma sombra fria procurasse um calor de outros tempos… e Luz dessa sensação!... Há quem Espere alcançar o tempo, como se o tempo esperasse pelo tempo que pensamos ter como nosso, à disposição dos nossos desejos… do milagre que nem sempre acontece!... Tecemos o casulo no qual fechamos qualquer possibilidade de liberdade, no entanto, ainda acreditamos em metamorfoses sentimos a crisálida como uma esperança sem fim!... Sem casulo… apenas crisálida que o tempo parou!...
E é tão fácil desentorpecer as asas!... Olhar o Sol todos os dias… ignorar a Lua em qualquer uma das noites!... bastando olhar alguém nos olhos e ver o reflexo do que vamos perdendo sob a venda obtusa da Vida!... Como borboletas, tecendo o casulo no qual…




Abraço

myra disse...

nao precisa esperar muito, tuas palavras saiem assim do coraçao da alma de teu talento para escrever o que sente...lindas...
beijos imensos

Samaryna disse...

Paula, a semana passasa estava conversando com o Eder e falavámos sobre um depoimento de um escritor da língua castelheana, cujo nome me fugiu agora, então, perguntaram para o escritor o que é utopia. Ele respondeu, a utopia está na linha do horizonte, se dou um passa, ela dá dois, e você que saber o que é utopia, bem, utopia é caminhar. Por isso amiga, a espera é válida qdo se tem os olhos no horizonte e um desejo imenso de andar. Deixo o meu afeto.