segunda-feira, 16 de maio de 2011



Vou soltando os pensamentos
Em rabiscos, pontilhados
Traçados sem fim

Enrosco a ponta do lápis
No fio dos pensamentos
Deixo ele caminhar livremente pelo papel

A emoção vai brincando
De esconde-esconde

O lápis solto desenha interrogações
Suspiros e sonhos
Faz nuvens no papel
Encaracola sentimentos
Desenhos abstratos






19 comentários:

Maria Dias disse...

Mas estes teus pensamentos andam enroscados hein?rs...Faz cachinhos nele e joja bolinhas de nuvens...Percebo q está passando um tempo no céu!(Aproveita!)

Beijinho

Maria

Tatiana disse...

Entre riscos e rabiscos...Surge o desenho da vida que ganha cores nos sonhos realizados!

Tenha uma semana mágica!

Beijos

Nanda Assis disse...

que poema mais fofo. fui lendo e imaginando, os desenhos e as palavras. ameii de coração.

bjos...

myra disse...

vai acabar pintando e desenhando:))))
ja o faz com as palavras:))
beijos minha queridisima Paula

Samaryna disse...

Querida Paula, às vezes eu me deixo levar pelo "lápis" deixando as emoções aflorarem a escrita. Acho, que a maioria que escreve sente personagem da sua poesia. Deixo o meu afeto.

João Ludugero disse...

Paula,

Gosto dessa tua poesia solta,
beirando nuvens de algodão
Numa manada de vacas voadoras,
De carneirinhos...
Gosto do teu sol amar-elo
no firmamento
que parte da retina
da tua íris,
dando colorido aos teus lápis
a escrevinhar a vida.
Gosto do arco da tua trança
Que faz as nossas cabeças mais leves, mais perto
de um carro-céu
chamado Alegria,
pintado com rabiscos
e letras de Paulinha Barros.
É como olhar pro azul
e ver a lua no céu,
na tarde amena,
como uma bola branca
chutada ao gol...
Tua poesia encanta, viu?

Tenha uma (b) ótima semana!
Abraço,
João Ludugero.

mfc disse...

Também é possível arquitectar sonhos com papel e lápis...

Constantino, Guardador de Vacas disse...

O nosso livre pensamento é tão feito de sonhos e utopias. Eu gosto de gastar bicos de lápis a registá-los.

Benno disse...

Às vezes eu começo um texto a partir de uma coisa qualquer, e a coisa vai voando e crescendo, como um imã vai atraiando outras coisas, e vai se espalhando por outras dimensões, variando, tomando formas e cores inusitadas. Quando eu vejo o que ficou, sei que ficou alguma ou até muitas coisas de mim ali naquela grande bolo. Tenho a impressão de que ninguém vai entender (pois eu mesmo muitas vezes não me entendo) e me surpreendo ao perceber que alguém entendeu.
ótima semana
Beijos

Everson Russo disse...

Um lapis,,,emoção,,,pensamentos pontilhados,,,rabiscos,,,amor,,,enfim,,,poesia que alimenta a alma...grande beijo de bom dia pra ti querida.

Ilaine disse...

Fios de pensamentos que vão desenhando a forma abstrata do sentimento.

Ah, Paula, é linda, linda esta poesia. Sensibilidade escrita.

Beijo

Mari Amorim disse...

Apesar do movimento automático do lápis,ele trás para folha de papel,o sentimento contido no coração!
Um abraço cheio de boas energias!
obrigada,pelo carinho da visita!
Mari

Daniel Hiver disse...

Já faz um tempo absurdo que minha imaginação e minhas emoções deixaram de brincar de esconde-esconde...
Será que foi por que me perdi?

Sonhadora disse...

Minha querida

vamos escrevendo a alma nas letras que vamos deixando em cada poema em cada rima...escrevemo-NOS.

Beijinho
Sonhadora

Tatiana disse...

Ei Paula!
Vim reler para absorver coisas boas em meus pensamentos e coração.

Beijos com meu carinho

Cαmilα ♥ disse...

Assim escrevendo cada vez mais envolvente.
Lindo!

Luciano disse...

Passando pra deixar um abraços
Luciano
PAPIROS DE ALEXANDRIA - O Blog Mais Mediocremente Letrado da Internet
http://papiros.zip.net

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Paula...o mundo não acabou...rs
Portanto a nossa amizade continua e a emoção de compartilhar com os amigos o nosso aniversário é boa demais
Obrigado pelas palavras e pelo carinho lá no Verseiro
Quanto ao poema o que mais chama a atenção são as expressões usadas...todas elas muito bem usadas por sinal...
E o livro Paula? Não desista da idéia amiga...vai fundo...espalhe poesia
Um abraço na alma...bom domingo pra vocês aí...
Beijo

Armindo C. Alves disse...

PAULA- Depois de inesperada navegação profissional, estou de volta. Não comandado pelo vento, mas soltando o pensamento.
É sempre com emoção que leio os seus temas. Mesmo quando encaracolados de sentimentos e aparentemente abstratos ou desenhando interrogações, eles são o reflexo de um espírito muito sensível e exigente.

Feliz semana.

Beijos.