sábado, 9 de julho de 2011



Vou sair agora. Ainda chove, faz cinco dias. Clima bom para dormir, ficar em casa, mas preciso sair. Olhei pela janela, a tua janela, e lá estava fazendo sol, tem árvores e pássaros. Tudo tão colorido e bonito. Cheguei a ver um arco-íris. Não, não tinha arco-íris, mas eu vi, ou melhor eu senti ficar cheia de arco-íris dentro de mim. Cada dia me encho mais de cores, principalmente nestes dias cinzas, só para sair pelo mundo pisando poças de água coloridas.Vou sair agora, queria tanto quando voltasse encontrar novidades. Um assobio me chamando da janela, um pássaro qualquer voando de asas bem abertas, enquanto brinco de ser borboleta.


Texto: 12.04.11






6 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

Oi Paula, lindo texto poético. Bem no seu estilo. Sublime, um microconto cheio de imagem tangíveis. Bravo amiga. Bjos.

BRANCAMAR disse...

Tão lindo Paula!

Seu espírito anda tão colorido!

Adorei a imagem "enquanto brinco de ser borboleta" e também me apeteceu voar por aí...

Beijinhos
Branca

mfc disse...

Continua a ver esse arco íris e sobretudo continua a sorrir!

OceanoAzul.Sonhos disse...

Uma chuva que pintou poesia, encheu de cores a paisagem e voo nas asas da imaginação.
Lindo!

Um abraço
oa.s

Maria disse...

Ao longo da vida nós vemos sempre, e só, o que nós queremos. Depois dizem que o cérebro é uma máquina complicada...

Que vejas mesmo o teu arco-íris, Paulinha.

Beijos.

myra disse...

ter um arco iris dentro da gente, que maravilha! minha querida amiga "borboleta", lindo, beijos