quinta-feira, 6 de outubro de 2011





Solta a tua poesia no vento. Solta.
Chegou a primavera.
Os teus ventos-poesias.
Vão arrancar flores dos meus galhos.
A terra está úmida do perfume de jasmim.

Solta, sopra teus ventos.
A primavera vai florir cachos de poesia.
O meu mundo vai virar jardim.




10 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

que se faça a semeadura com imenso amor. Bjos.

myra disse...

tomara mesmo que teu mundo, ( e o meu tbem) vire jardim!
tantos beijossssssssssss
PS: de todos...

Tatiana Moreira disse...

A ternura da sua poesia encanta!
Impossível sair daqui...Como entrei!

Beijos

mfc disse...

Gostei da imagem de o teu mundo virar jardim!
Uma imagem extremamente poética!

Armindo C. Alves disse...

A vossa primavera é simultânea com o nosso outono.
Pressinto um certo equilíbrio no simultâneo da vossa primavera com o nosso outono. De um lado a colorida florescência, o festivo, o emocional explosivo. Do outro lado o sombrio,, o recatar de sentimentos, o dourado do fim de ciclo, de verão demasiado quente.
Na simbiose dos dois, certamente resultará um perfume marcante e muito intenso.

Abraço.

Memória de Elefante disse...

Paula!

O tempo é esse fluir ou uma série infinita de recortes, entre os quais
transita inexplicavelmente(por enquanto)a nossa inteligência, na ilusão da temporalidade e este teu poema mostra isto de uma bela forma.

Um beijo

Sonhadora disse...

Minha querida

Soltaste a poesia da alma e dedilhaste sonhos de primavera.
Como sempre belo.


Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Memória de Elefante disse...

Respondendo a tua pergunta:
tenho de priorizar meu tempo para retomar o trabalho do meu novo Livro, estava parado devido ao excesso de trabalho na profissão.
Mas tenha a certeza, terei o maior prazer em compartir contigo quando do lançamento.

Obrigada por lembrares!
Boa noite!

Ilaine disse...

Oi, Paula!

Linda poesia!
A primavera e as suas palavras andam soltas... Beijo

Mariangela disse...

Que a poesia e o amor floreça as nossas primaveras e que ela seja um imenso jardim!
abraço
Mariangela