sábado, 10 de dezembro de 2011

O encontro

Tinha certeza que lhe reconheceria pelo sorriso. Embora algumas vezes ficava em dúvida. Teria você já passado por mim e eu não teria percebido? Pensava, às vezes, tirando a minha certeza que lhe reconheceria pelo sorriso. Onde lhe encontraria? No supermercado do bairro, já que moramos próximos, no Parque da Jaqueira, na Praia de Boa Viagem? Sempre pensava porque ainda não tínhamos marcado para nos conhecermos? Passaram alguns dias que somam uns três anos. E eu sempre acompanhando a sua vida. Você me dizia que estudava para concurso, passou no concurso, aguardou ser chamado, está trabalhando, viajando. Me contou da gravidez da sua esposa, acompanhei os nove meses. Torcendo para o fofo nascer no dia do meu aniversário, mas ele nasceu um dia antes. Os dias passando e o fofo crescendo, as noites acordadas, o choro de madrugada, quandocomeçou a engatinhar, andar, e eu acompanhando e pensando porque ainda não tinha lhe conhecido. Descobrimos que sua cunhada é irmã de uma pessoa amiga e querida. Os dias passavam. Naquele dia, na Praia de Boa Viagem, pensava entre tantos outros pensamentos porque não tínhamos ainda nos conhecido. E assim, não sei como, observo uma criança, olho na direação que ele vai, estas cenas sempre me chamam a atenção, e estava o seu sorriso no rosto daquele pai. E pensei: é ele, é ele. Me aproximei. E o pai de Gabriel Rodolfo sorria. Agora não és mais só Rodolfo, és o pai do fofo. Enquanto falava com você procurei pipas no ar, lembrei das suas lembranças de infãncia, quando chamávamos pipa de papagaio.  Naquele dia o céu estava lindo, mas não tinha papagaios no ar. Lembrei do seu texto sobre o abraço apertado, mas nem sempre, nestes encontros, acontecem os abraços apertados escritos nos textos. Foi bom lhe encontrar na praia, sob um céu lindo, curtindo a vida com sua família.






Praia de Boa Viagem - Recife
04.12.11

Blog de RODOLFO

10 comentários:

Tatiana Moreira disse...

A vida vai seguindo o seu curso... As histórias de vida vão se entrelaçando e vamos percebendo que os que passam por nós... Para sempre ficam!

Um abraço carinhoso

Dauri Batisti disse...

Andas aprimorada nos escritos. Ganhas uma bela fluidez.

Obrigado pelo carinho.

Beijo.

EDER RIBEIRO disse...

Com certeza deve ter sido um momento ímpar, o encontro. A vida é isso, feita de encontros, até nós mesmo, às vezes, desejamos nos encontrar. Bjos.

Poeta Mauro Rocha disse...

O encontro marcado.
E essa praia é muito bonita, eu acho e gosto.

Um abraço!

mfc disse...

São (re) encontros bonitos estes que vão acontecendo nas nossas vidas!

Eurico disse...

E como é bom encontrar pessoas como vc. Eu que o diga.

Abç fra/terno.

Vivian disse...

...quantas pessoas amigas eu
gostaria de reencontrar pela
estrada..

sim...
reencontrar, porque somos
eternos passageiros desta
nau escola, e com certeza
já cruzamos com muitos
deles no caminho de
ida e volta.

bjuuuuuu, flor!

BRANCAMAR disse...

É tão bom encontrar amigos!

Beijos

O Sibarita disse...

Ô dona moça! Que bacana esse encontro e da forma que vc contestualiza ficou da zorra!

Muito bom!

E em Jauá? kkkkkkkkkkkkkkkkkk Será que isso vai ocorrer?

O Sibarita

Rodolfo de Sá Cavalcanti disse...

Ah, Paula, me fizeste chorar em pleno ambiente de trabalho, ao ler seu texto.
Faltou, mas faltou mesmo no nosso encontro, o abraço apertado... mas não deu, não dava, era olho constante para meu fofo Gabriel Rodolfo, e quando a gente tira a vista por segundo, as vezes muitas coisas acontece... coisas de quem já teve filho perdido na praia, sustos de quedas, etc... você sabe...


Mas minha amiga, obrigado pelo texto e pela sua amizade e pela fotos. Já estao no album, no meu e no de Gabriel Rodolfo.

Abraço forte!!!