domingo, 27 de janeiro de 2013







A vida tem muitos jardins. Muitas flores. Muitas árvores frondosas. Mas tem aquela fruta que nos marca em seus sabores. O jardim que nos encanta com suas flores. As flores que nos abraçam com suas cores. A vida, gosto de pensá-la. Embora pensar a vida, nem sempre tem serventia na hora de viver. A gente espera que sirva. Gosto de observar quando algum botão de rosa desabrocha dentro da gente, do que somos capazes. Mas gosto mesmo de observar quando os espinhos furam a alma, do que somos capazes. Do que somos capazes no amor e na dor?

4 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

Paula, há tanta beleza nesse texto, até no espinho que provoca a dor, pois sem ele jamais saberíamos o qto valoroso é atingir cores, sabores e odores das flores. Assim como são as pedras no nosso caminho. Bjos.

myra disse...

maravilhosa a frase:botao de rosa desabrocha dentro da gnete...amo as tuas metaforas!!!beijos, querida!!

Uma aprendiz disse...

A melhor forma de nos conhecermos de verdade é na hora dos espinhos.

beijos

O Sibarita disse...

Então Fia, me diz, do que somos capazes no amor e na dor, aiaiia...kkkk

Quando se ama não tem espinhos e nem dor certa, tudo é delícia, né naõ? kkkkkkkk


O Sibarita