sábado, 9 de fevereiro de 2013







No teu silêncio
Surge uma outra de dentro de mim
Que pode ser eu mesma, ou não
Me desconheço, me reconhecendo
Nos traçados profundos

No teu silêncio
Me inquieto
Me surpreendo
Surjo em algum viés
Me felicito
No teu silêncio


Escrito: 24.09.12
Postado no facebook: 03.12.12

3 comentários:

EDER RIBEIRO disse...

São várias possibillidades, hem, Paulinha. Bjos

myra disse...

Paula querida, mto querida, sao tao lindos estes teus ultimos versos que nao ha palavras...para mim, so emocao!
e me provocam saudades profundas, de qe, nao sei, de tudo!!!!so posso te mandar imensos beijos...

O Sibarita disse...

Como sempre os versos são de beleza rara e mostra a incerteza de lá ele que silenciou, será? kkkk

O Sibarita