domingo, 14 de junho de 2015






Um dia
Um outro dia
(de novo)
Escutarei a tua voz

Não tenho certeza se escutarei
Isto não saberei
A emoção me deixa surda
E a tua voz, escrita ou falada
Desalinha os meus pensamentos

Preciso te escutar
Sentir a tua voz
Arrepiar o meu passado
Fazer do futuro sonhado
O presente presente

Mas quando a alma se arrepiar
Tendo lágrimas borbulhando em algum lugar de mim
Não sei se te escutarei
Ou apenas levitarei
Na certeza que sonhos e desejos
Podem ser realidade


3 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Bom dia Paula
Andas afastada, mas chegas e arrasas com um belo poema. Parabéns, adorei.

Beijo e excelente semana.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Ricardo- águialivre disse...

Muito bonito o poema. Fiquei fascinado com tanta beleza poética
.
Deixo cumprimentos
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Paulo Francisco disse...

Um dia sim, o outro não... E vamos levando na poesia, na flauta...Nos encontros e desencontros. Nas certezas e nas incertezas.
beijogrande