domingo, 2 de abril de 2017




Por caminhos tortuosos
Seguem sonhos
Delírios de mãos vazias
Coração ausente de amor
Pele ressacada de nadas
Carinhos que o vento envergou

Por caminhos tortuosos
Sonhos se perderam
Eucaliptos em solo encharcado
Partiu o solo resseco

Por caminhos tortuosos
Carências cambaleiam
Vendo vultos nas sombras floridas
Perdidas em matas atlânticas

Por caminhos tortuosos
O nada
O tudo
Cheiro de vida nas entranhas


9 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Muito bonito! Amei

Beijinhos bem vinda

Paulo Francisco disse...

Muito bom mesmo!
beijogrande

myra disse...

Paula, finalmente consegui entrar aqui! gostei muito deste poema, um grande beijo
myra

O Árabe disse...

Belo texto, Paula! Por caminhos tortuosos, eu dia, seguimos sempre a nossa vida! Boa semana, fique bem.

A. disse...

Continua a Vida presente... de uma maneira ou de outra!...
Tortuosos são os caminhos inseguros, perdidos, algures no tempo... como oportunidade e nostalgia!...


Abraço

Helena disse...

Paula, minha querida, quanto tempo!
Como fomos nos perder de nós mesmas? Deve ter uns dois anos mais ou menos que nos desencontramos...
Senti um carinho enorme na alma quando pude voltar ao meu espaço e me deparei com um comentário teu. Fiquei tão feliz, meu anjo!
Mas somente hoje eu pude vir aqui te trazer um agradecimento pelos votos formulados, e também falar da minha saudade.

Tu continuas a escrever como ninguém! Sempre adorei os teus escritos, a tua forma espontânea de desnudar a alma, de expor o coração, de fazer transitar nos teus textos uma poesia tão bonita quanto diversificada.

Este é um (re)encontro e uma despedida, pois pretendo dar uma pausa prolongada no blog. Motivos... Tantos!

Mas quero deixar aqui, minha linda, um abraço bem apertado, um beijo bem carinhoso, e os votos de que tu sigas pela vida semeando flores, colhendo estrelas, e espalhando sorrisos por onde passares.

Com grande afeto,
Leninha

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Oi, Paula, amiga sumida. Sim, aquele é meu livro de contos. E que poema bonito, em caminhos tortuosos vamos fazendo nossa vida, tecendo nossos sonhos. O importante nem tanto é chegar, é o camimhar. Parabéns. Beijos.

Nanda Assis disse...

quanto tempo não venho aqui. saudades desse blog!!
bjos...

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Sempre um encanto de palavras!
Abraço