domingo, 2 de abril de 2017




Por caminhos tortuosos
Seguem sonhos
Delírios de mãos vazias
Coração ausente de amor
Pele ressacada de nadas
Carinhos que o vento envergou

Por caminhos tortuosos
Sonhos se perderam
Eucaliptos em solo encharcado
Partiu o solo resseco

Por caminhos tortuosos
Carências cambaleiam
Vendo vultos nas sombras floridas
Perdidas em matas atlânticas

Por caminhos tortuosos
O nada
O tudo
Cheiro de vida nas entranhas


2 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Muito bonito! Amei

Beijinhos bem vinda

Paulo Francisco disse...

Muito bom mesmo!
beijogrande