segunda-feira, 5 de novembro de 2012







Escrever é assim, você nem está pensando em escrever, está nua em frente da tela do computador, e lê algo aqui, lê algo ali, sente saudade, sente desejo, pensa em algo, e as palavras vão querendo sair de você. As palavras lhes desnudam mais ainda. A roupa já está no colo, você está desnuda e suja, mas as palavras querem mais, elas querem expor outra nudez. Vão lhe descascando feito a cozinheira que descasca uma cebola, vão tirando pele por pele, vão arrancando lágrimas. Você pode parar tudo indo para debaixo do chuveiro. Pensando em parar de arder.  Mas você não para, as palavras vão saindo, vão temperando os sentimentos, cortando em fatias finas a vida, a sua, vão mostrando o miolo, a essência. As palavras com fio afiado refogam o passado, o presente, o futuro, afogam verdades  num só caldeirão, que ferve, a mente, os desejos, a alma. Alguns diriam Freud explica. Outros insistem, o poeta é fingidor. Entendem pouco de salada de palavras. Palavras temperadas com lágrimas, um prato a ser servido de verdades. Mesmo que pareça uma sopa de letrinhas misturadas. As letrinhas estão ali, as palavras podem ser formadas, a vida pode ser resgatada.

12 comentários:

O Sibarita disse...

Rapaaazzzzzzzzzzz! kkkk Claro, as palavras querem mais... kkkk Vc toda desnuda quer o que? kkkkkkkkkk

Fia, fia! kkkkk Ômopai! Nem vou comentar direito... kkkkkkkkkkkkkk


Tá dez!

O Sibarita

Paulo Francisco de Araujo disse...

Um texto não tem que ser explicado. O escritor escreve e o leitor interpreta e pronto.
E que bom que seja assim.

:.tossan® disse...

Arte preciosa é esta de escrever poemas! É um processamento da alma! Maravilhoso querida Paula. beijo

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Só quem escreve sabe o que quer dizer, quem lê apenas sente à sua maneira, gostei como sempre e tinha saudades de passar aqui.


Um beijinho com carinho
Sonhadora

EDER RIBEIRO disse...

Paula, minha relação com as palavras, a escrita é tão íntima q qdo acabo de usá-las, eu sinto um prazer inenarável. Hj estava no meio de um conto, escrevendo, para mim, um trecho forte, bem denso que até eu me admirei. Porém, o celular travou e se desligou, qdo reiniciou autométicamente o texto desapareceu posto q não foi salvo. Me senti em um coito interrompido... Kkkkkkkk. Depois de escrita, as palavras, se perdidas, não serão mais as mesmas se reescritas. Bjos.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Muito intensas essas palavras!

sérgio figueiredo disse...

é assim, Paula... as palavras.

elas são o que vimos quando estamos de frente a um espelho... somos nós. são o que somos, o que sentimos... e escrevemos.

bj...nho

Everson Russo disse...

Uma tarde cheia de carinho, poesias e muitas flores pra ti minha amiga...beijos e beijos...

ELANE, Mulher de fases! disse...

Q lindo Paula, e a cozinheira vai colocando mais temperos, de acordo com o gosto e qdo vê, o prato fica maravilhoso, único, é a nossa vida, é a nossa mente, as misturas de temperos e idéias...maravilhoso texto, como sempre, vc arrasa!!bjooo

Benno disse...

"Escrever é sacudir o sentido do mundo." (Roland Barthes)

"Somos todos escritores. Só que uns escrevem, outros não." (José Saramago)

"Perdoe-me, senhora, se escrevi carta tão comprida. Não tive tempo de fazê-la curta." (Voltaire)

Escrever é por-se no papel, em forma de letras, transforma-se em conto, poesia, romance. É arder em chamas, virar cinzas e viver tudo de novo. É amar mil vezes um milhão de amores, é sonhar, é lutar, é viver. (Eu)

Uma aprendiz disse...

Oi, Paula

Foi exatamente isso que aconteceu comigo hoje. Obrigada pela visita. Volte lá e veja o resultado disso.

Obrigada por ler minha alma com este texto.

beijos

Semente literária disse...

Paula, estou por fora deste blog a algum tempo. Hoje comecei a descobrir o quanto perdi de deixá-lo de lado. Os seus escritos estão cada vez mais seguros e coerentes com o que todos nós sentimos. Um abração. Saulo